Uma volta a infância ou uma descoberta para novos públicos. Assim podem ser definidos os sentimentos envolvidos no novo Animais Fantásticos e Onde Habitam(2016), spin off da saga Harry Potter baseado no livro homônimo escrito por J.K. Rowling em 2001 sob o pseudônimo de seu autor e personagem principal no filme: Newt Scamander (Eddie Redmayne).

145255 Crítica | Animais Fantásticos e Onde Habitam

Na trama, Newt chega em Nova York depois de ter viajado o mundo estudando criaturas mágicas e também as salvando da extinção, lá ele encontra com o trouxa (ou “no-maj” como os humanos são chamados pelos americanos)  Kowalsk (Dan Fogler) e com a ex investigadora da MACUSA Tina Golstein (Katherine Waterston) que o ajudam a savar algumas das espécies que fugiram da sua maleta e estão no encalço do investigarod da MACUSA Graves (Colin Farrell).

O diretor David Yates, já conhecido por dirigir os últimos quatro filmes da saga Harry Potter, mais uma vez tem o olhar perfeito para criar a barreira tênue entre o mundo mágico e o real. Além dos efeito especiais deslumbrantes, o diretor conta a história de forma simples e direta, criando com o espectador mais do que empatia, ficamos quase intimos dos personagens, assim como já visto nos filmes da série original.

O visual do filme é um caso a parte, a aura da Nova York dos anos 20 exalando jazz e a exuberância dos anos 20 pré depressão financeira estão nítidas em várias partes da cidade, a começar pelo jornal comandado pela família milionária Shaw (Jon Voight) além da constante lembrança da desigualdade que atingia a maioria da população naquela época. A cena do bar clandestino – lembrando a lei seca – com seus elfos e bruxos agindo como gangsters trouxe um toque romântico e cafajeste que o personagem Gnarlack (Ron Perlman) precisava. Apesar de curta o ambiente para criar a existencial desse personagem ficou impecável.

Apesar das críticas sofridas por alguns grupos pela aparição de Johnny Depp com o vilão Grindelwald, devido a polêmica das agressões que o ator fez contra sua ex mulher, o filme conseguiu fazer com que algumas pessoas que estão torcendo o nariz para o ator (eu incluso) não se sintam tão prejudicadas pela presença dele no filme.

Com uma aura de quero mais e de nostalgia, Animais Fantásticos e Onde Habitam. traz de volta o clima do herói inesperado que pode existir em cada um de nós e mantém a mesma qualidade da saga original.