“Extraordinário” ficou bem conhecido pela história de Auggie e a famosa frase “Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.” A autora não satisfeita com o presente que deu a diversos leitores, lançou mais dois livros para coleção: “365 dias extraordinários -O livro de preceitos do Sr. Browne”, o qual você pode encontrar para cada dia do ano uma frase inspiradora: 19 de agosto – “Sempre parece impossível, até que seja feito”. E o livro “Auggie e Eu, três histórias extraordinárias”.auggie-3 Auggie e Eu
    O livro nos traz Auggie como personagem secundário e segue o tema, de que “Extraordinário não é sobre o que acontece com Auggie Pullman. É sobre como Auggie acontece para o mundo.” A escritora foi bem fiel a liberdade que nos deixou de imaginar o futuro para o personagem, a mesma liberdade que nos deu quando retratou o rosto de Auggie. Nunca saberemos como realmente é, mas ao decorrer da leitura podemos “dar” um rosto a ele. Este novo livro é interessante, pois nos traz a história de personagens os quais no livro Extraordinário não eram principais. Assim, conta-nos a história de Julian, Cristopher e Charlotte. O que é curioso e faz o leitor refletir que no fim, cada personagem mesmo aquele que aparece em só uma cena de qualquer livro e interfere, tal personagem tem sua história, razões e motivos para agir de tal modo.
auggie-2 Auggie e Eu
     A primeira história é sobre Julian: “O capítulo do Julian”. O garoto que praticou bullying com Auggie; não vem para justificar o feito, mas conhecermos o que tem por trás do garoto. Conhecemos o medo que o personagem sentia da feição de Auggie e dos pesadelos que retornaram quando o viu. A relação de proteção excessiva da sua mãe, que não a fazia enxergar os erros do próprio filho. Em parte nos faz ver o fato que nem toda criança está preparada para lidar com o diferente, ás vezes nem os adultos sabem. Conhecemos a história da avó de Julian que um dia também não soube entender o seu colega “aleijado ” como ela mesma se refere, e esse garoto salvou sua vida. Por fim, ela traz uma grande lição para Julian: “…- Deve prometer a si mesmo que nunca mais vai se comportar assim de novo. Um erro não define quem você é, Julian. Entende? Você pode simplesmente fazer a coisa certa da próxima vez.”
auggie-e-eu Auggie e Eu
      O segundo capítulo é sobre Cristopher: “Plutão”. O primeiro amigo de Auggie desde as primeiras cirurgias. Entre o acidente com sua mãe, vemos que o importante é agradecer todos o dias, porque ás vezes o dia pode acabar bem pior do que imaginamos. E que momentos difíceis fazem a gente repensar o que é importante na vida. Uma frase que me conquistou e resume o capítulo é: “Ás vezes, as amizades são difíceis.” É bem mais profunda do que parece. O último capítulo é sobre Charlotte: “Shingaling”. A menina escolhida para recepção de Auggie na escola. Nós acompanhamos a reação das garotas em relação ao novato e tudo que acontece durante o quinto ano. O ponto que me fez refletir é o homem do acordeão. Quando a pequena Char é cheia de curiosidades e perguntas sobre ele, e é detida pelo medo. Mas, ao ficar mais velha, e com o pouco do medo que foi embora, as dúvidas sobre ele também foram. E ela acaba se acostumando a passar todos os dias por ali, e a ouvir as mesmas músicas que faziam bem ao seu dia. A gente cresce e tudo parece virar um hábito, tudo no automático, ás vezes sem olhar e se questionar o mundo ao nosso redor.
auggie-4 Auggie e Eu
     “Só para você saber, ser legal é o primeiro passo para ser gentil. É um belo começo.” Para os que esperam ler a continuação sobre Auggie, não é o livro certo. Como a própria autora disse na introdução: “É um complemento.” Não é tão bom quanto Extraordinário, mas é um bom livro e oferece uma visão maior do mundo de Auggie. Apesar da leitura não ser tão rápida e instigante, traz aqueles trechos que marcam a gente. “Extraordinário” é um livro único e “Auggie e eu” veio para mostrar o quanto conhecermos uma pessoa pode mudar nossa vida.