Muito está sendo dito na internet sobre Batman v Superman. Não é por menos. É o filme da vez. Mas as redes sociais e sites se dividem muito entre críticas de “críticos” e críticas de “fãs”. Logicamente a diferença entre as duas são gritantes. Isto vem gerado uma divisão de pensamentos entre a qualidade ou não do filme. Os próprios atores (Ben Affleck e Henry Cavill) disseram em um vídeo que o que importa é a resposta dos fãs. Será?!

Já tivemos nossa crítica postada no EN (leia aqui). E os comentários sobre a mesmo foram divididos nas redes, apesar da maioria destes serem bem positivos. Então resolvi falar como crítico e como fã. Seria o mesmo que tomar um tom bi-polar em meus parágrafos (o que vai deixar o texto confuso e engraçado), mas talvez mostre a diferença de visão entre analisar o conteúdo de um filme, e analisar o conteúdo de uma paixão. Vamos lá?!

Antes de qualquer coisa, eu sou super fã da história, e mais ainda do Batman, principalmente dos quadrinhos, Não do Ben Affleck.

A, mas o Batman de “Batman v Superman” é pura referência aos quadrinhos, isto é inegável. É lindo de se ver. Mas o Ben, não parece que tem 20 anos que está enfrentando o crime. Ele deveria estar mais “cansado” do combate ao crime, sem ter a capacidade de botar um sorriso na cara. O Batman é o cara que bota medo no Superman.

O filme começa intenso, como deveria ser. A cena da morte dos pais do Batman (isto não é spoiler, todo mundo sabe que eles morrem) é recriada de mais uma forma. Já estou confuso de tantas maneiras de os vi morrer. Becos escuros, correndo, tiro a queima-roupa, enfim. Eles morrem, Bruce cai. O Batman nasce. Só não sei se mais uma vez, esta cena era necessária, ainda mais neste filme.

Logo na segunda cena, fiquei empolgado com o que o filme veio mostrar. A luta do Superman contra Zod pela visão “do chão”, pelo Batman. Spoiler: A destruição das indústrias Wayne e o assassinato de tantos inocentes, me fez ter um ódio mortal do Superman. As cenas são maravilhosas e perfeitamente encaixadas. Mas, pouco não vimos nos trailers. Estava todo empolgado com as sequências, até notar que já tinha visto quase tudo antes.

Superman se torna um Deus, se já não fosse com seus poderes capazes de aniquilar o planeta. E até aqui o filme tem uma sequência fluída. Repito, até aqui.

Jesse Eisenberg dá vida a mais um Lex Luthor. E cada uma de suas frases é a construção meticulosa de um pensamento psicopata. Como Lex é. Mas são extensas. Spoiler: A conversa dele com a senadora mostra o quanto a cena foi arquitetada pra ser daquela maneira. Seria impossível improvisar um sequência de diálogos com os componentes do local em uma conversa real e com respostas de momento, como deveriam ser. É possível ver que em algumas cenas ele está mais “pirado” do que “extremamente inteligente”. Infelizmente o trejeitos deles de “A Rede Social” permanecem iguais. Lex não é assim. Mas ficou muito legal. É um novo Lex, que deveria ser um pouco diferente.

Daqui pra frente o filme é um monte de histórias paralelas, encontros e apresentações que focam no objetivo dos dois confrontos. E como estas histórias poderiam ser melhor trabalhadas. O filme ganharia mais uns 30 minutos. Seria um deleite aos fãs. Mas ficaria super extenso e chato. Sim, já temos cerca de 90 minutos aqui.

Eu disse dois confrontos né. Sim. Batman v Superman e Batman, Superman e Mulher Maravilha v DoomsDay.

Ah, os confrontos! A arquitetura do filme e do roteiro força com que Batman confronte Superman. Spoiler: Mas ficou muito descarado o Batman “esperar” para lutar com Superman, sem saber que o Superman lutaria com ele por outro motivo. Se não é pela sua mãe, Superman nunca apareceria. Assim mostra o filme.

E o confronto do “Dia v Noite” é exatamente o que eu lia nos quadrinhos. Foi lindo ver cada página das histórias serem foleadas ao vivo na grande tela. Mas ele é curto. O filme leva tanto tempo pra chegar aquele ápice, mas acaba tão rápido, pois o roteiro está apertado demais pra incluir mais um confronto. E mostrar a Mulher Maravilha.

Gal Gadot é a Mulher Maravilha. Linda. Forte. Aparece algumas vezes no filme e arrebenta no final. E sim, os trailers mostraram demais. Mesmo.

Não me lembro de não ter visto uma cena dela que não estivesse no trailer. Uma pena. J.J. Abrams precisa ensinar os diretores a fazer trailers e spots.

O confronto final é realmente espetacular. DoomsDay é realmente o maior oponente de SuperMan. Spoiler: Mas ele evolui? Como assim?! Ele é o DoomsDay, quase imortal, mas praticamente só apanha de todas as maneiras. Com a capacidade de destruição que ele tem, e o tempo apertado do filme agora, ele faz pouco.

Ver os 3 heróis lutando contra aquela criatura, com cenas perfeitamente arquitetadas é muito empolgante. E só. O filme demora demais até chegar aqui. Vejam que o Lex já se perdeu na história, apesar de ter tido toda influência durante todo o filme para que quase tudo acontecesse.

A abertura que o filme traz para a Liga da Justiça é linda! É sim o próximo grande passo da DC. Só espero que os próximos filmes sejam mais diretos ao ponto. Ou então, façam filmes de cada herói individualmente. MARVEL comentou isso aqui?!

Por fim, estou ansioso para ver o filme mais algumas vezes. É lindo ver um sonho se tornar realidade. Ver ele em IMAX também é um grande trunfo. Não imagino o filme em qualquer outro tipo de sala.

Mas não sei se verei o filme todo. Muitas cenas são descartáveis. Mesmo sendo todas maravilhosas.

É difícil tentar separar gosto de critérios. É como ser apaixonado por sorvete, mas comê-lo apenas quando estiver a -2º. Se não for assim, não presta.

Eu amei o filme, mas também não fui feliz com ele. Seria assim a visão que tenho dos dois lados. É essa a visão do filme e a divisão das pessoas. Estou dividido. Mas muito feliz!

Como Crítico: [s3r star=3.5/5]

Como Fã:         [s3r star=5/5]