[s3r star=4/5]

Após 32 anos, um novo “Ghostbusters” surge cheio de homenagens, piadas que funcionam e empoderamento feminino!

Erin Gilbert (Kristen Wiig) descobre que sua carreira acadêmica pode ser prejudicada pelo lançamento de um livro sobre o paranormal que ela e sua antiga amiga Abby (Melissa McCarthy) haviam escrito. Quando Erin tenta convencer Abby a retirar o livro da internet, as duas presenciam um fenômeno que muda completamente seus planos e marca o início de um grupo dedicado a combater fantasmas em NY. Jillian e Patty (ex-funcionária de um metrô em Nova York) completam o grupo de caça-fantasmas.

Ghostbusters-2016 Crítica 2 | Caça-Fantasmas

Vi alguns comentários de pessoas dizendo que tinham medo que as personagens tentassem copiar os 4 caça-fantasmas de 1984. Isso não acontece já que cada uma possui personalidade forte e todas desempenham papéis extremamente importantes no filme. A química entre as integrantes do grupo é algo contagiante, principalmente entre Abby e Erin. É possível entender que a separação das duas foi ocasionada pela descrença das pessoas em relação aos seus trabalhos. Juntas novamente conseguem provar a todos (e a si mesmas) que todos os seus estudos não foram em vão.

O destaque especial vai para Jillian Holtzmann (Kate McKinnon). A personagem totalmente excêntrica consegue roubar todas as cenas com seu jeitinho insano de agir. Patty Tolan (Leslie Jones) é a última a se unir ao grupo e seus conhecimentos sobre os lugares e história de Nova York se tornam muito úteis.
Uma participação que me fez dar gargalhada no cinema foi a de Chris Hemsworth como Kevin: um secretário bonito e altamente estúpido. É incrível a capacidade que Kevin tinha de superar o nível de burrice cada vez que falava alguma coisa (ou “escutava”).

ChrisHemsworth-FTR1 Crítica 2 | Caça-Fantasmas

O filme consegue homenagear o primeiro (1984) sem sair do próprio universo criado. Muitos dos atores do elenco original fizeram participações especiais. Infelizmente Bill Muray foi uma oportunidade perdida: acreditem ou não, o personagem interpretado pelo original caça-fantasmas foi extremamente tedioso.

As cenas de ação no final foram bem construídas (sem ficarem confusas) e as cores esverdeadas dos fantasmas em um mundo que começa a ficar acinzentado cria um visual muito bonito. O diretor Paul Feig soube exatamente como fazer um filme engraçado e nostálgico, criando uma conexão forte entre a plateia e os personagens.

Muitos esperavam um filme ruim pelo primeiro trailer ter sido fraco. O problema com isso poderia ser pelo fato das piadas serem mais contextuais. No trailer, o que parecia ser sem graça, arrancou algumas risadas durante o filme.
E também há aqueles que criticam “Ghostbusters”, sem ao menos ter assistido, pela escolha dos protagonistas. Há uma cena em que Erin lê um comentário real no youtube sobre isso: o próprio filme faz piada com quem se revoltou ao saber que o elenco principal é formado por mulheres. “As Caça-Fantasmas” vai calar a boca de quem dizia que o filme seria ruim por este motivo, caso não cale, façam como Kevin e “fechem os olhos”.

Se preparem para passar a semana com a música tema grudada na cabeça e não se esqueçam: tem cenas pós-créditos!

Kate-McKinnon-as-Jillian-Holtzmann-in-Ghostbusters-2016-kate-mckinnon-39273770-1280-854 Crítica 2 | Caça-Fantasmas

Estreia: 14/07/2016