Sabe aquele filme que trocou de ator, mas o personagem continua o mesmo? Não, eu não estou falando de 007. Estou falando sobre um filme muito, mas muito inferior.

493407.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx-300x207 Crítica – Carga Explosiva: O LegadoO quarto filme da franquia Carga explosiva até se esforça para ser um bom longa de ação, mas como ter algo bom,   quando substitui o ator que fazia a franquia funcionar por um ator que não consegue nem atuar direito? Ed Skrein até se esforça, tenta convencer nas cenas de lutas, mas ele nunca será Jason Statham. O ator é tão bom que muitas vezes vira coadjuvante na história, perdendo o posto de protagonista para o seu pai – Sim, eles resolveram colocar a vida pessoal de Frank Martin mais exposta no filme. – e para sua empregadora Anna (Loan Chabanol), uma prostituta que planeja, com três colegas, se vingar de seu cafetão roubando toda a sua fortuna.

078450-300x193 Crítica – Carga Explosiva: O LegadoAlém da má atuação do protagonista, o filme ainda conta com cenas exageradas do diretor Camille Delamarre. Durante perseguições, as viaturas policiais violam as leis da gravidade ao bater em outros veículos ou objetos enquanto nosso “herói” brinca com as leis da física em seu moderníssimo Audi S8(como de costume na franquia).

Com um roteiro preguiçoso e varias caras feias exageradas do protagonista, carga explosiva o legado definitivamente é um filme fraco no qual você pode assistir quando não tiver opções melhores, como em um domingo à tarde, onde seus maiores concorrentes serão aqueles programas chatos da tv aberta. Ô loco meu!