Após uma imensa espera finalmente nós fãs temos de volta o detetive sociopata favorito depois de um hiato de dois anos o sériado da BBC Londres Sherlock trás de volta Benedict Cumberbatch e Martin Freeman nos papeis de Sherlock Holmes e Dr. John Watson. E podemos dizer que eles voltam em grande forma com um episódio recheado de mistério, pegando leve no humor e trazendo a tona alguns dramas densos.

Após ser chamado de volta – depois da fuga mais curta da história – pelo governo, com ajuda de uma mexida de pauzinhos de Mycroft (Mark Gatiss)Sherlock está ainda preocupado com um suposto plano que Moriarty teria deixado para desafiar o detetive após a sua morte recebe de Lestrade (Rupert Graves) um novo e complicado caso de um jovem que apareceu morto na garagem de casa enquanto todos pensavam que ele estava em viagem ao Tibet.

Ao chegar na casa para a entrevista com os pais, o detetive entra em um caso ainda mais complicado: Quem estaria invadindo casas para destruir bustos da ex Primeira Ministra da Ingleterra, a Dama de Ferro, Margaret Tatcher?

Durante a busca descobrimos mais sobre o passado de espiã de Mary Watson (Amanda Abbington) quando parte do seu passado volta para lhe perseguir. Aqui vemos um desenvolvimento interessante nos personagens: Watson, agora pai e mais grisalho está mais acido e atento, deixando a aura um pouco sonsa de lado principalmente quando Mary o deixa com sua filha recém nascida para resolver seus problemas com o passado.

Apesar de no inicio a linha do tempo ficar um pouco confusa, com vários casos sendo resolvido ao mesmo tempo e a falta real de uma motivação melhor para tantas citações a Moriaty, o primeiro episódio dessa quarta temporada vem com o elenco base ainda mais coeso e maduro, o que segura a falta de um roteiro melhor amarrado. A sensação de que o seriado está voltando as suas origens é boa após a confusão que foi o especial de natal, mas esperamos que nos próximos episódios o desenvolvimento da história acompanhe a mesma qualidade do elenco.