Após a onda de sucesso que “Os Dez Mandamentos – O Filme” atingiu, os atores Sérgio Marone e Mel Lisboa foram escalados para dublar o longa-metragem “O Jovem Messias” (2016), onde Sérgio fará José, pai de Jesus, e Mel fará Maria.

O filme é baseado no best-seller “Cristo Senhor – A Saída do Egito” (2008), com autoria de Anne Rice (Entrevista com um Vampiro). Na história Anne imagina um ano na vida de Jesus (Adam Greaves-Neal) quando criança, com 7 anos de idade com todos os conflitos e descobertas que Jesus enfrentou sendo o jovem messias.

Fizemos uma entrevista com Sérgio Marone, a voz de José no longa:

Como foi a experiência na primeira dublagem?

Sérgio: Foi uma experiência bem interessante, difícil por ter sido a primeira vez e por ser um trabalho que exige mutia técnica pois você tem que representar com a voz e sincronizar com a boca do ator que fez a personagem, povoar o lado lúdico já que você não está vivendo aquela cena, com aquela roupa em um cenário montado. Foi um trabalho bastante interessante! Um super exercício para qualquer ator.

O filme tem uma visão muito diferente do mostrado comumente nos filmes de Jesus, o que você achou dessa visão diferenciada do filme?

Sérgio: Eu achei fantástico, é o que desperta o interesse nas pessoas para verem o filme. Todos conhecemos muito essa história mas por outro ponto de vista, não com a visão de Jesus enquanto criança. Como essa criança lida com essas descobertas sobre os poderes, como os pais dessa criança a protegem de interesses externos. Esse é o grande diferencial do filme, é o que é interessante na história, conhecê-Lo e imaginá-Lo como a autora propõe. Conhecer isso tudo do ponto de vista da criança que é pouquíssimo explorado.

Como foi a experiência dublando José, após viver Ramsés em Os 10 Mandamentos?

Sérgio: É totalmente antagônico, José é um cara do bem, com uma força muito grande. Foi incrível, eu gostei bastante. É a personagem mais importante do filme, é José que direciona a família, ele apresenta tamanha generosidade e ao mesmo tempo força para proteger o filho. Totalmente diferente.

Sobre dublagem, após esta primeira experiência, existem planos para dublagens futuros?

Sérgio: Eu gostei muito dessa experiência e espero fazer outras, poder contar outras histórias (de preferência histórias tão boas quanto essa) e poder me exercitar mais enquanto ator.

Há algum personagem que você gostaria de dublar?

Sérgio: Gostaria de dublar uma animação, personagens como Jack Sparrow, ou algum filme do Tim Burton.

Como estão os projetos futuros?

Sérgio: Estou produzindo meu primeiro longa chamado “Jesus Kid”, que apesar do nome não tem nada haver com o universo bíblico. Jesus Kid é um cowboy personagem de pocketbooks de um autor decadente, Eugênio, que sem muito sucesso com a venda de seus livros é convidado para escrever um roteiro de cinema. Mas, como o roteiro é sobre processo criativo, para escrever Eugênio terá de ficar trancado em um hotel. Durante este processo, preso no hotel e tentando escrever, Eugênio tem um branco e passa por várias situações engraçadas.

O autor é Lourenço Mutarelli, na minha opinião um dos maiores romancistas do Brasil, o longa terá direção de Aly Muritiba e o plano é estrear no próximo ano. Nesse filme eu farei o coadjuvante, Jesus Kid.

Confira a crítica desse lindo e emocionante filme aqui.