Eu particularmente, poderia passar um mês inteiro falando das peculiaridades deste  diretor, o seu perfeccionismo, a sua estética apurada, ironia e nostalgia do passado me deixam completamente extasiada, seu modo único de enxergar o mundo e a forma que ele a passa para a tela  possuem quase um efeito de hipnose.

Diretor, roteirista e produtor americano nascido em Texas – Houston, no dia 1 de maio de 1969, está completando seus  47 anos em 2016.Completou seus estudos na Universidade do Texas, onde se formou em Filosofia e conheceu seu amigo, o ator Owen Wilson.

O fruto desta amizade e parceria rendeu diversas produções de curtas metragens no inicio da carreira de ambos,  Owen tornou-se uma das marcas registradas do diretor, que não o colocou em apenas 2 dos seus longas metragens (Três é demais e Moonrise Kingdom).

Um dos seus curtas que ganhou um reconhecimento maior foi o Bottle Rocket (1994), que dois anos depois deu origem a um longa, no Brasil a produção ganhou o nome de Pura Adrenalina (1996). Teve a atuação de Owen e seu irmão Luke Wilson.

Mesmo não sendo um grande sucesso comercial, lhe rendeu admiradores e novos fãs renomados , entre eles Martin Scorsese.

Cores influenciadas nos anos 70, numa paleta saturada e cenas em perfeita simetria, são marcas que tornaram-se registradas de Anderson, você pode dar um stop a qualquer momento em uma de suas obras e o resultado será uma bela fotografia.

Quer se trate de um rochedo, um close num personagem, o zíper de uma cabana se abrindo, ou um edifício, alguma coisa, quase sempre, é colocada num ponto meticulosamente calculado.

Além destas suas características estéticas marcantes, Wes se inspira em quadrinhos e na literatura infanto-juvenil, mergulhando em clássicos como ” O apanhador do campo de centeio”, de J.D Sallinger e “Moby Dick”, de Herman Melville e quadrinhos como os de Turma Charlie Brown, de Charles Schulz.

O diretor está sempre procurando fazer referências cinematográficas e homenagens a mestres do cinema: Vida Marinha com Steve Zissou (2004) sofreu influência do cinema de Federico Fellini, Moonrise Kingdom, por sua vez, é repleto de referências ao clássico O Demônio das Onze Horas, de Jean-Luc Godard:

A teatralidade é trazida aos seus filmes de forma proposital, reforçando a sua imagem registrada.

No filme Os Excêntricos Tenenbaums(2001), os cenários são apresentados como se tivessem sido montados em um palco. Moonrise Kingdom tem uma peça de teatro inserida no centro de sua narrativa, e a abertura de uma cortina vermelha dá início à apresentação dos personagens de Vida Marinha com Steve Zissou.

Outra curiosidade sobre Wes Anderson é a capacidade de infantilizar seus personagens adultos e fazer o efeito contrário com as crianças.

Moonrise Kingdom é o primeiro filme do diretor a apresentar protagonistas crianças. Sam e Suzy, no entanto, são mais adultos do que muitos dos personagens da carreira de Wes Anderson. Outro exemplo é o milionário Herman Blue, vivido por Bill Murray em Três é Demais (1998), que tem prazer em tirar sarro de criancinhas.

O ultimo trabalho de Wes Anderson foi o longa ” O Grande Hotel Budapeste” (2014), que lhe rendeu vários prêmios, incluindo 4 Oscar’s, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Maquiagem e Penteados.

 A história se passa durante a segunda Guerra Mundial e conta as aventuras do famoso gerente de um hotel europeu e um jovem empregado que tornam-se melhores amigos.

Parabéns Wes Anderson e obrigada por nos presentear com a sua arte!