Desde que foi feito o anúncio de que teriamos o Homem-Aranha dentro do Universo Marvel, milhões de perguntas começaram a surgir: como ele seria introduzido? Como seria abordado por onde o personagem andava durante todo esse tempo em NY? Quando teriamos um filme solo do herói?
Todas essas perguntas pouco a pouco nos foram respondidas e enfim foi anúnciado a data de lançamento do filme solo do herói.

Eu confesso, estava com um pouco de receio ao saber que o personagem estaria retornando aos cinemas, após o fracasso que haviam sido os dois últimos filmes do Homem-Aranha (sim me julguem, eu detestei).

O filme começa oito anos antes da trama principal, já nos dando uma dica como Adrian Toomes se tornou o Abutre no futuro.
A linha do tempo e o desenrolar do filme foram muito bem executados, vemos como Peter Parker ganhou o seu uniforme, como ele foi convocado para ajudar o Homem-Ferro durante os eventos de Guerra Civil e dai em diante como está a sua vida após participar deste evento que mudou toda a sua vida.

Peter Parker está tentando provar o herói que pensa que é para Tony, para que assim o mesmo o convide a fazer parte dos vingadores. O foco em sua vida escolar é abordado de uma forma hilária, que mais para o fim do filme vira um grande fardo quando finalmente a sua vida de herói começa a afetar a sua vida particular.
Os personagens secundários foram bem encaixados e tiveram o seu tempo de tela necessário para que não ficassem esquecidos e nem saturados.
O melhor amigo de Peter, Ned, nos presenteia com alguns dos momentos mais engraçados do filme, o que por sinal vale a pena já de uma vez mencionar a comédia do filme, posso dizer que está DIGNA ao que o cabeça de teia merecia, me peguei rindo com toda a sala de cinema (as vezes até sozinho) diversas vezes.
Liz Toomes é o interesse amoroso do herói desta vez, um pouco apagada e nada marcante, mas o seu relacionamento com o herói é o que entrega a maior reviravolta do filme.

O vilão do filme foi uma surpresa para mim, estando acostumado a vilões que quase sempre ficam apagados nas histórias do MCU, me surpreendi com a versão do Abutre interpretado por Michael Keaton, um vilão mais humano e sombrio, com um propósito simples. As cenas com o vilão foram bem elaboradas e não deixam a desejar.

Tony Stark está lá como uma espécie de mentor para Peter, para poder ajuda-lo a entender o que é ser um herói (e podem ficar tranquilos, ele não rouba a cena do filme como todos temiam).

Temos o retorno e personagens que gostamos, Happy Hogan e Pepper, as atuações estão ótimas e nos dão aquela sensação contentamento ao ver os personagens que conhecemos a anos serem interpretados de uma maneira tão amigavel, o 3D do filme é um 6/10 com uma profundidade de campo bem bacana, porém sem nada muito grandioso, os efeitos especiais deste filme estão de cair o queixo (Doutor Estranho fazendo escola) e as pequenas participações especiais nos fazem ver o quanto os filmes da Marvel estão interligados uns com os outros.

Eu não sou de dar spoiler, mas gostaria de avisar que as cenas pós créditos são uma decepção só, não esperem ter uma espiada nos próximos filmes do MCU.

Fico por aqui nerds e até a próxima crítica.
Nos deixe saber o que você achou do filme deixando os seus comentários em nossas redes sociais e aqui no site também.