Grandes mestres do cinema , dizem que é quase impossível fazer cinema sem música, o que eu pessoalmente concordo,  os diretores que mais admiro o trabalho, sabem fazer  uso desta ferramenta de forma incrível.

O Cinema nunca foi “totalmente” mudo, o que não havia era  um método eficiente  de sincronizar som á imagem, mas som sempre teve, e este sempre foi importante, enfatizando, criando ou até redundando climas narrativos na imagem.

Mas então veio o sistema de sonorização no cinema, o famoso VITAPHONE, uma enorme e desajeitada máquina de projeção lançada em 1927 ( imortalizando o filme The Jazz Singer, com Al Jolson), que sincronizava  o filme a um disco de 33 rotações.

Charlie Chaplin foi um dos primeiros diretores nos Estados Unidos a sentir a necessidade de uma adequação mais precisa da música à imagem projetada, não querendo depender do senso estético dos pianistas em cada projeção. Para tanto, compôs ele mesmo partituras para acompanhar seus filmes.

A partir de  hoje o Estação Nerd vai lançar uma coletânea de matérias para quem é fã de música e cinema , será uma lista de filmes divididos por gêneros musicais que contam a história da música ou a envolvem em seu contexto de forma única.

E nesta primeira brincadeira, os filmes do universo de um movimento cultural originado nos anos 70 entre os latinos-americanos, os Jamaicanos, e os afro-americanos da cidade de Nova York, mais precisamente no sul de Bronx será a estrela.

O estilo musical Hip-hop faz aniversário no dia 12 de novembro, e desde a sua origem promovia

“ Paz,união e Diversão”, a filosofia subjacente a este movimento cultural era a de existirem disputas com base na criatividade e não com recurso à violência e às armas.

5° Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (2015)

Este longa desbancou ” Missão impossível : Nação Secreta”  dos cinemas em seu final de semana de estréia nos EUA em 2015 , com um faturamento de U$ 60,2 milhões em sua estréia.O filme retrata o universo do Hip hop na Los Angeles dos anos de 1980, contando a trajetória do N.W.A.,grupo de rap que popularizou o gênero gangsta, com suas letras sobre violência, drogas e  marginalidade. Dirigido por F. Gary Gray (‘Código de Conduta’), o filme retrata tensões raciais e brutalidade policial, temas quentes do atual cenário americano.

Dr. Dre e Ice Cube, rappers que fizeram parte da formação original do N.W.A., são coprodutores do filme.No Brasil o longe teve sua estréia no dia 29 de Outubro. 

 

4° A arte do Rap (2012)

O diretor Ice-T faz um mergulho na sua história pessoal e na do rap, a música que o salvou. Ele viaja de costa a costa dos Estados Unidos conversando com verdadeiras lendas desse estilo musical que nasceu nas ruas. Entrevistas com Snoop Dogg, Kanye West, Eminem, Afrika Bambaataa, Grandmaster Caz, Nas, Mos Def e outros rappers mostram a verdadeira alma dessa música genuinamente americana.

3° Antônia (2006)

Tem filme brasileiro também, dirigido por Tata Amaral, a história fala sobre Preta (Negra Li), Barbarah (Leila Moreno), Mayah (Quelynah) e Lena (Cindy), quatro amigas de infância que moram na Zona Norte de São Paulo e formam o conjunto de hip hop que dá nome ao filme. Enquanto lidam com a violência da região onde moram e o machismo dentro da cena musical, elas lutam por um espaço no cenário do hip hop.

2° Notorius (2009)

Notorious B.I.G foi um dos nomes mais importantes do rap na famosa “Costa Leste”, em Nova York,  juntamente com seu parceiro e maior incentivador Puffy Daddy. Biggie Smalls (outro apelido de B.I.G) traficava no Brooklin e já aos 17 anos, quando não estava preso, mostrava o domínio da rima entre seus companheiros. Na “Costa Oeste” estavam Dr. Dre e Tupac, fazendo muito sucesso naquele novo cenário do rap que emergia com força, esquecendo as roupas coloridas de alguns anos atrás  e mergulhando no submundo e na realidade crua dos indivíduos em questão.

A direção do filme é por conta de  George Tillman Jr e apresenta o universo do hip hop de uma forma interessante e muito competente.

1° 8 Mile – Rua das Ilusões (2002)

8 Mile (8 Mile – Rua das ilusões, no Brasil) é um filme americano de 2002, do gênero drama musical, dirigido por Curtis Hanson e com roteiro de Scott Silver.Com um orçamento de 41 milhões de dólares, o filme arrecadou US$242.875.078 mundialmente em bilheterias.

Jimmy (B-Rabbit) é um jovem rapper branco que sonha fazer sucesso com sua música, ao mesmo tempo que vive junto com a pobreza e o preconceito racial, por morar em Warren, uma cidade suburbana predominantemente negra ao norte de Detroit. O filme acompanha o drama familiar entre Rabbit, sua mãe, sua jovem irmã e constante brigas entre gangues.

8 Mile, é um filme que deve ser visto com atenção, sem se deixar levar pela carreira musical do rapper Eminem, pois o filme não se trata da vida pessoal dele, apesar de se aproximar de sua trajetória em vários aspectos.