Em segundo ano consecutivo a Academia não indicou nenhum artista negro nas categorias principais do Oscar. O fato repercutiu negativamente mundo afora e muitos artistas já anunciaram uma forma de “boicotar” o Oscar, um exemplo é o diretor Spike Lee. Este Oscar já tem um “apelido carinhoso” em Hollywood, sendo já conhecido como o Oscar mais branco da história.

Em meio à fogo cruzado, a presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, Cheryl Boone Isaacs, precisou vir à público e em meio a um comunicado oficial comentar sobre o fato, prometendo grandes mudanças. A presidente se disse estar “com o coração partido e frustrada com a falta de inclusão”. Falando sobre mudanças, a presidente disse que uma das medidas a serem postas em prática será uma avaliação nos atuais membros votantes “a fim de trazer mais diversidade na classe em 2016 e além”. Cheryl também relembrou que no passado houve uma grande mudança nos votantes da Academia, como quando foram recrutados membros mais jovens.

A Academia não divulga informações sobre seus votantes, mas em pesquisas feitas em 2012 pelo Los Angeles Time, 94% dos votantes são brancos e 77% são do sexo masculino, na faixa de media de 62 anos. As informações são do EW.