Fãs de cinema adoram teorias. Quentin Tarantino é cinéfilo e não é exceção. Mesmo quando o objeto em pauta é a sua obra. Em participação recente no programa The Project, da TV australiana, o cineasta confirmou uma teoria de grande repercussão: que todos os personagens de seus filmes pertencem a um mesmo universo conectado. Tarantino não discorda; aprimora. Segundo ele, seus personagens habitam dois mundos, o real e o cinematográfico. Confira, na íntegra:

“Na verdade, há dois universos separados. Existe um que é mais real que o universo, ok, e todos os personagens habitam esse aqui. Mas também tem o universo dos filmes. Então, Um Drink no Inferno, Kill Bill, todos eles acontecem no universo especial dos filmes. Assim, quando todos os personagens de Cães de Aluguel ou Pulp Fiction vão ao cinema, Kill Bill é o que eles vão ver, Um Drink no Inferno é o que eles vão ver.”

516701.jpg-c_620_260_x-f_jpg-q_x-xxyxx Quentin Tarantino explica o universo conectado de seus filmes

Entendeu?! Não é difícil: os filmes que trabalham com fantasia, como Um Drink no Inferno e Kill Bill (em amarelo no simples “gráfico” acima), são como filmes dentro dos filmes do Tarantino. Todos os outros personagens, pertencentes a um mundo bem realista, habitam o outro universo (em preto). E estes, quando têm uma pausa entre um roubo e outro ou qualquer outra enrascada, estão vendo a obra do próprio Tarantino. Portanto, todos eles pertencem a um universo ainda maior, que abrange tudo (em vermelho). Tudo conectado.

Oitavo filme de Quentin Tarantino, Os Oito Odiados segue em cartaz nos cinemas brasileiros.