ter, 27 setembro 2022

A Teoria dos Vidros Quebrados | Filme premiado em Gramado tem estreia adiada; Confira!

Publicidade

Vencedor dos prêmios de Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Filme pelo júri popular, do festival de Gramado, A TEORIA DOS VIDROS QUEBRADOS tem estreia adiada em São Paulo. O longa é uma coprodução da gaúcha Okna Produções, que também distribui o filme, além das uruguaias Parking Films e Cordon Films, e da argentina Tarea Fina (Argentina).

Rodado nas cidades uruguaias de Montevidéu e Aiguá, entre novembro e dezembro de 2019, o filme tem direção assinada por Diego Fernández, e foi escolhido pelo Uruguai para representar o país no Oscar em 2022, na categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira.

Escrito por Diego Parker Fernández e Rodolfo Santullo, o roteiro do longa tem como base o experimento de psicologia social conhecido como “Teoria dos Vidros Quebrados”, que demonstrou que uma vez iniciada uma ação de violência, como quebrar o vidro de um carro, é desencadeado um processo interno nos indivíduos que os leva a vandalizarem o objeto em questão até a destruição, não importando o nível social ou econômico do local onde estão inseridos.

Publicidade

Fernandéz foi inspirado por essa teoria para conceber o longa, somada a uma série de eventos ocorridos em 2010, quando mais de 20 carros foram incendiados na cidade de Melo – região fronteiriça entre Uruguai e Brasil – por adolescentes que queriam apenas se divertir. O fato curioso é que ao identificarem os vândalos, percebeu-se que nem todos os carros haviam sido incendiados por eles – uma onda de vandalismo foi desencadeada e outras pessoas se aproveitaram para cometerem vingança e obterem benefícios.

Ao existir uma sensação de impunidade diante da destruição material, cresce o efeito de contágio entre as pessoas, o que as leva a abandonar os seus valores e praticar ações que de outra maneira nunca fariam. Em A TEORIA DOS VIDROS QUEBRADOS, o tema é tratado em tom de comédia a partir do gênero policial, propondo que o espectador reflita sobre a condição humana, sem preconceitos.

O longa é protagonizado por um funcionário de uma companhia de seguros, que recebe uma promoção e é designado perito em uma cidadezinha do interior. O que seria motivo para comemorar se transforma em pesadelo quando, ao chegar no local, ele presencia a pior onda de incêndios de carros na história do país. Encurralado pelos clientes, moradores um tanto peculiares da região, Cláudio se vê pressionado a cobrir os seguros num ambiente hostil e ao tentar esclarecer os crimes descobrirá que muitas coisas não são o que aparentam.

O jornal uruguaio El Pais classificou o filme como “a comédia ideal para voltar ao cinema”. O site Cinema com Rapadura escreveu sobre o filme que nele “existe um excelente olhar sobre as nuances de um crime, cuja perspectiva sobre uma cidade pequena faz toda a diferença para a sua resolução, afinal, como a comunidade é unida, as respostas são procuradas por todos, e o roteiro faz questão de mostrar a curiosidade, revolta e, é claro, as camadas do poder local.”

O elenco é formado por uma combinação de talentos latinos. Os brasileiros Roberto Birindelli (“Nos tempos do Imperador” e “Polícia Federal: A Lei é para todos”) e Lourdes Kauffmann. O protagonista é o argentino, Martín Slipak (“A Noiva do Deserto”) e, completam o time, os uruguaios César Troncoso (“Benzinho”) e Verónica Perrota (“Mulher do pai”).

Publicidade

Newsletter

Destaque

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe um comentário