qui, 22 fevereiro 2024

Com Elvis Presley em versão ‘agente secreto’, nova série da Netflix tem participação do Combo Studio na animação

Publicidade

Lançamento recentíssimo — e promessa de grande sucesso — da Netflix, “Agente Elvis”, série animada que traz o “Rei do Rock” no papel de um agente secreto americano, tem um “quê” de Brasil. Isso porque o Combo Studio, do Rio de Janeiro (RJ), teve participação ativa na produção, liberada ao público no streaming nessa sexta-feira (17).

A primeira temporada é uma coprodução da plataforma com a Sony e tem um total de dez episódios de 24 minutos cada, em média. O Combo foi responsável pela animação de oito minutos por episódio, ou seja, participando ativamente de um terço do conteúdo, a convite da Titmouse, estúdio do Canadá. Para isso, destinou 45 profissionais, entre animadores, ilustradores e equipe de produção, num total de dez meses de trabalho, entre o início e a entrega do material, que traz um misto de animação tradicional com cut out.

Segundo Marcelo Pereira, sócio do Combo Studio, o maior desafio foi representar, da maneira mais fiel, o histórico astro da música, cuja versão “ilustrada” foi criada por Robert Valley, animador e designer indicado ao Oscar. “É uma tremenda honra poder participar dessa animação, que traz não apenas o ‘Rei do Rock’ como personagem principal, mas também uma versão criada por um dos mais geniais animadores que temos atualmente. E, justamente por isso, foi um desafio replicar a arte criada por ele em tela”.

Publicidade

Tal complexidade do projeto foi sanada pelo estúdio com a contratação de um profissional exclusivo para estudos sobre anatomia. “Nós consumimos muitos materiais do Elvis Presley, como vídeos, videoclipes e filmes, além das outras celebridades que estão na série. Como são personagens humanizados, o desafio é maior, e precisamos ter noções de movimentação e estética, para não fugir da direção criada”.

Publicidade

Publicidade

Destaque

Crítica | Amante, stalker e mortal

Em um dos debates mais recentes sobre cinema na...

Crítica | Todos Nós Desconhecidos (All of Us Strangers)

Escrito e dirigido por Andrew Haigh (Looking), All of...

Crítica | Orion e o Escuro

Existem inúmeros filmes e diretores que têm o hábito...

Crítica | Ferrari

Ferrari, novo filme de Michael Mann (Colateral) mostra que...
Hiccaro Rodrigues
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]