Com estreia de “A Espiã Vermelha” nos cinemas, Editora Record lança o livro no Brasil

A Editora Record acaba de lançar no Brasil o livro “A Espiã Vermelha”, de Jennie Rooney, que deu origem ao longa homônimo dirigido por Trevor Numm, que chega aos cinemas brasileiros em 16 de maio. A autora se inspirou livremente na história de Melita Norwood, a espiã britânica que serviu por mais tempo à KGB, para criar Joan Stanley, interpretada por Judi Dench nas telonas.  

Joan Stanley é uma caloura em Cambridge, no ano de 1938, que ao entrar na universidade se une a uma sociedade comunista estudantil, onde conhece o jovem alemão Leo Galinch e logo se apaixona por ele. Esse relacionamento faz com que ela passe a enxergar o mundo sob outra ótica e se envolva com atividades do Partido Comunista.  

Ao se apaixonar por Leo, Joan se vê no centro de uma disputa política em meio ao avanço   
do fascismo. Com a eclosão da Segunda Guerra, ela é convidada a trabalhar no famoso Laboratório Cavendish. Ali, conhece o líder de um projeto ultrassecreto da Grã-Bretanha, o professor Max Davies, que se impressiona com a jovem e a coloca a par do segredo: estão desenvolvendo uma bomba atômica.  


“Assim com muitos dos cientistas que trabalharam no desenvolvimento da bomba na América, no Canadá e na Grã-Bretanha, Joan sente vergonha e culpa esmagadoras quando armas de destruição em massa são desencadeadas primeiro em Hiroshima e, dias depois, em Nagasaki”, explica o diretor.  

Dividida entre a lealdade a seu país e o desejo de fazer a coisa certa, Joan vai assumir  
o risco de ser parte do Serviço Secreto Soviético, a KGB. Por mais de cinquenta anos seu segredo estará guardado, até que tudo vem à tona e sua lealdade novamente é colocada à prova. Quando é presa pelo MI5 e acusada de espionagem, seu filho Nick, advogado, está determinado a limpar o nome de sua mãe. Mas, será que ela realmente é inocente?  

O diretor Trevor Numm comenta sobre seu objetivo com a produção: “o filme tenta contar uma história fundamentalmente verdadeira de uma forma fundamentalmente verdadeira. Será que Joan estava certa em fazer o que ela fez? O filme faz essa pergunta e espera que todos assistindo queiram discutir, ponderar e debater este assunto”.   

Jennie Rooney, autora de “A Espiã Vermelha”, nasceu em Liverpool, em 1980. Estudou história na Universidade de Cambridge e deu aulas de inglês na França antes de se mudar para Londres para trabalhar como advogada. O primeiro romance da autora, Inside the Whale, foi finalista do Costa First Novel Award.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Crítica | La Casa de Papel – Parte 3

“Una mattina, mi son' svegliato..." Nessa nova temporada, a “Bella Ciao” vem com outro significado: Por la familia! O...

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...