qua, 28 fevereiro 2024

Crítica | 7500

Publicidade

7500, novo suspense da Prime Video, é um filme complicado de avaliar. Não por ser complexo demais, mas sim por ter boas atuações, uma direção segura, um roteiro coerente e que mesmo assim não empolga nunca, falta algo a está obra que inicia sua história após a decolagem de um avião de grande porte no qual terroristas armados com facas improvisadas atacam a cabine de comando, tentando sequestrar o avião. A situação piora quando os sequestradores, por não conseguirem invadir a cabine, matam um passageiro e ameaçam fazer o mesmo a outros, cabendo ao piloto impedir uma tragédia.

Como visto a proposta é interessante, não original, mas interessante. O modo como a história do filme é contada é criativa, porém, e nele que reside o problema do filme. Toda a ação (todo o filme basicamente) se passa na cabine dos pilotos. Conhecemos a rotina dos pilotos, como funciona a cabine e descobrimos o que significa o 7500 do título. Tudo de modo gradativo, sem atropelos e de modo orgânico. O sequestro acontece e a tensão surge e… nada acontece. Todas as situações ocorrem de modo tão conveniente dentro da cabine que a tensão inicial com o passar do tempo se dissipa e perde força.

As situações criadas pelo roteiro escrito pela dupla Patrick Vollrath (Alles Wird Gut) e Halil Basic (Korida) são aceitáveis, mas ocorrem tão bem milimetradas que acabam atrapalhando a tensão construída inicialmente, lembre que o filme é um suspense. As situações propostas são bem dirigidas por Vollrath que utiliza bem os espaços da cabine, sempre passando a sensação de claustrofobia, além disso o diretor usa bem a câmera em modo estático, fazendo assim com que o espectador se sinta junto com o protagonista naquela situação infernal. A justificativa para a ação dos terroristas é apresentada de modo brusco e nunca é discutida ou sequer aprofundada, uma oportunidade perdida pelo filme. No quesito atuação Joseph Gordon-Levitt (Don Jon) é o grande nome da produção e do filme, sua atuação é segura e convence. Os demais atores cumprem bem seus papéis dentro do espaço que a cabine/roteiro permite.

Publicidade

7500 é um passatempo regular, que entretém. Bem filmado e com uma proposta interessante o longa, infelizmente, não decola (desculpem o trocadilho, rs) por não ter tempo/coragem de aprofundar certos temas apresentados, como a xenofobia. Uma pena!

https://www.youtube.com/watch?v=leEwzquSc6Y
Publicidade

Publicidade

Destaque

Jorge da Capadócia | Filme de Alexandre Machafer, estreia nos cinemas em 18 de abril

O filme “Jorge da Capadócia”, dirigido, produzido e protagonizado...

Crítica | Todos Nós Desconhecidos (All of Us Strangers)

Escrito e dirigido por Andrew Haigh (Looking), All of...

Muito Mais a Ver: Max chega hoje ao Brasil

Max, o destino de entretenimento que reúne histórias extraordinárias...

Nicholas Winton: O Homem que Desafiou o Impossível e salvou centenas de crianças

Um livro extraordinário, que promete inspirar, emocionar e marcar...
Hiccaro Rodrigues
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]
7500, novo suspense da Prime Video, é um filme complicado de avaliar. Não por ser complexo demais, mas sim por ter boas atuações, uma direção segura, um roteiro coerente e que mesmo assim não empolga nunca, falta algo a está obra que inicia sua...Crítica | 7500