Crítica | A Babá: O Chamado das Sombras

Veja nossos últimos stories

O Cinema da Rússia é um dos mais antigos e o país é o quarto maior mercado de filmes do mundo. Com tamanha importância o cinema russo vem gradativamente sendo mais conhecido aqui no Brasil, em especial, pelos filmes de terror. Produções como: A Noiva, A Sereia: Lago dos Mortos e Os Guardiões foram lançados no país e chamaram a atenção. Chega em breve nos cinemas a nova empreitada do cinema de terror russo: A Babá: O Chamado das Sombras.

a

A sinopse do filme é a seguinte: Uma família se muda para um novo apartamento e contrata uma misteriosa babá para cuidar da filha recém-nascida. Quando as duas desaparecem, eles descobrem que estavam lidando com uma força demoníaca conhecida como Baba Yaga. Interessante né? A proposta sim, a execução… O folclore eslavo, na qual a trama se baseia, é rico de detalhes que poderiam ter sido aproveitados de melhor maneira no filme do diretor Svyatoslav Podgaevskiy (A Noiva), mas a direção de Podgaevskiy preferiu criar uma trolha de retalhos da lenda e misturar com outra trolha de clichês do gênero e misturar eles com alguns acertos visuais, em prol de uma trama que nunca decola e que carece de lógica e de terror.

É inegável que a fotografia criada por Podgaevskiy, para criar tensão é macabra e até funciona, mas o texto escrito por ele, em parceria com Ivan Kapitonov (Feitiço das Trevas) e pobre demais. Os efeitos em CGI, para uma produção de baixo orçamento até que são bons. Mas as situações criadas não assustam e nem causam tensão, os personagens não são bem desenvolvidos e os arcos narrativos são confusos. Para piorar o filme explica 500 vezes a mesma coisa e os personagens entram e saem sem nada a dizer, tornando a narrativa por diversas vezes enfadonha. Quando parece que as coisas vão melhorar, voltamos ao ponto de partida e fica aquela sensação de que o filme poderia ser melhor do que é.

As atuações, no geral, são fraquíssimas. Os adultos do elenco tem as piores atuações já vistas em uma produção de cinema. Oleg Chugunov (A Viúva das Sombras) é quem carrega os exaustivos 77 minutos de projeção nas costas.

A Babá: O Chamado das Sombras é um filme de terror que não assusta e a babá (que deveria ser Baba Yaga) não tem culpa de nada. Mesmo com alguns bons quesitos técnicos, o filme causa mais tédio do que medo. Melhor sorte no próximo longa russo de terror que você for assistir.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Casa Gucci – Confira a crítica do filme, por André Guerra Casa Gucci – Confira a crítica do filme La Casa de Papel 5 – Confira o título dos episódios finais Os 10 grandes lançamentos da Netflix em Dezembro de 2021 Gavião Arqueiro – Confira os easter eggs dos primeiros episódios Contos do Amanhã – Confira a crítica do filme