Crítica | A Nossa Espera

A Nossa Espera, filme selecionado na Semana da Crítica do último Festival de Cannes, tem a seguinte sinopse: Quando sua esposa abandona a família de uma hora para outra, um homem precisa aprender a administrar o trabalho, as necessidades dos filhos, os cuidados da casa, fora os desafios normais do dia a dia. Com este enredo simples e doloroso o diretor Guillaume Senez (Keeper) tenta tocar os nossos corações.

O filme é subjetivo e bastante morno em sua narrativa, as explicações estão lá, basta você ter sensibilidade e um pouco de paciência para notar elas. Como por exemplo a falta de percepção do nosso protagonista que devido a inúmeros problemas esquece de notar os sinais de angústia que sua esposa lhe envia. Apesar de tudo, ela continua a garantir o bom andamento da vida familiar e a espalhar seu afeto pelas crianças. Um dia, porém, ela “esquece” de pegá-los na escola. Só aí o protagonista e nós entendemos que, cansada de uma vida vazia de sentidos, ela os abandonou. A partir daí ele precisa pelo de bem de sua família se manter de pé.


O problema do longa, além do seu ritmo cadenciado o que faz com que ele seja cansativo de ver, é a falta de informações. Vários fatos são apenas mencionados vagamente, mas nunca explorados, exemplo disso é o estado de saúde de uma personagem que é importante para a narrativa, mas o fato e a personagem são ignoradas na trama o que é uma pena.

O ator Romain Duris (O Enigma Chinês) é uma das melhores coisas desse filme. Sem nunca cair em excesso, ele compartilha conosco suas dúvidas, seu desespero, sua raiva, mas também sua diversão, sua ternura e amor pela sua família, tudo isso enquanto restaura com uma precisão comovente os elos destruídos pelo sumiço de sua esposa. Um trabalho digno de indicação ao Oscar. Os demais atores ajudam a construir a imagem de herói de coração puro que Duris conseguiu por em cena.

O diretor do longa conduz tudo com uma mão leve, sem forçar situações ou carregar nas tintas dramáticas. O que é bastante positivo. Porém o mesmo falha em não focar nos desdobramentos do ocorrido,o que é um furo imperdoável ao roteiro, fica a sensação de vazio a trama que pode ter sido proposital, mas é péssimo para o andamento da mesma.

A Nossa Espera é um filme sutil que narra a luta de um homem para manter sua família abalada unida. Mesmo com seus problemas o longa tem um saldo positivo e conta com  uma atuação espetacular de Duris.

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Pela manhã trabalho escrevendo no Estação Nerd, de noite combato o crime nas ruas do Recife.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...