Crítica | Alfa

Muitos filmes já usaram histórias entre homens e cães para contar belas histórias de amizade, destaques para Marley & Eu (2008) e Para Sempre ao Seu Lado (2009). Alfa, filme que estreia nesta quinta feira (06/09), foca em mostrar como essa amizade começou. É o resultado é… Um espetáculo visual razoável, mas bem tedioso.

A sinopse do filme é até interessante. Após cair de um penhasco e se perder do seu grupo, um jovem precisa sobreviver em meio a paisagens selvagens e encontrar o caminho de casa. Ao ser atacado por uma alcateia, ele consegue ferir um dos lobos, mas decide não matar o animal. O jovem cuida dele e os dois começam uma relação de amizade.


A ideia do filme é até bacana, mas a execução é lentaaaaaaa e tediosa. O diretor Albert Hughes (O Livro de Eli) tem uma direção estilosa, cheia de cenas em câmera lenta e uma bela paleta de cores. Porém o mesmo opta por um ritmo lento (quase parando) que se posterga até a metade do filme, o ritmo até melhora um pouco perto do fim, mas isso faz com que você saia da sessão achando que se passaram duas horas de filme (quando na verdade o filme tem uma hora e vinte de duração). O roteiro também não ajuda em nada e basicamente chama o telespectador de burro pois narra tudo que vemos em cena (como se não fossemos capaz de perceber o que acontece). Os diálogos são sofríveis e devem ter sido tirados de um livro de frases de efeito para caminhões.

O elenco é constituído de atores de pouco renome. Jóhannes Haukur Jóhannesson (tem como filme de maior destaque, uma participação em Atômica) e Kodi Smit-McPhee (o Noturno de X‑Men: Apocalipse) tentam e se esforçam em suas cenas, mas a química entre os dois é nula e com o roteiro que eles tem em mãos, os mesmos não conseguem fazer muita coisa. A interação melhora quando Smit-McPhee faz parceria com o lobo e acreditem!!! Ele (o “cachorro”, não o ator) é o melhor personagem de todo o longa.

Os efeitos especiais estão bem feitos, mas com facilidade você consegue distinguir quando o animal é real ou é feito de CGI, tipo a cena inicial com os bisões e todas as outras cenas com animais do filme.

Em resumo, Alfa é aquele presente de embalagem pomposa que aparenta ser mais do que realmente é. Se quiser ver um filme sobre amizade entre homem e cachorro, reveja aqueles que indiquei lá em cima, vale bem mais a pena.

 

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
O pagode anos 90 moldou meu caráter.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...