Crítica | American Pie: A Primeira Vez É Inesquecível

O besteirol americano mais conhecido de todos os tempos estreia neste mês na Netflix, e junto com ele trás uma ótima nostalgia para os adolescentes dos anos 2000 (Afinal, quem não conhece aquela cena icônica da TORTA sendo “comida” em cima do balcão? KKKK). O filme trás um grupo de rapazes quase se formando no “terceirão” da vida, com um problema “muito sério”: ainda são virgens.

O filme possui muitas tratativas machistas ao longo do desenrolar das coisas, tratando as mulheres sempre como um item descartável. Felizmente, esse é um tipo de piada que envelheceu mal, e se fosse lançado nos dias de hoje, talvez não fizesse o mesmo tipo de sucesso.Olhando mais para o lado cômico das trapalhadas dos rapazes, como a cena da torta, ou então o laxante que um deles tomou e passou aperto na escola, o filme diverte seus espectadores com essas enrascadas. Mas claramente, não é um filme que eu escolheria para assistir com a família, por ter cenas embaraçosas.

Algumas cenas possui um humor bobo, mas também mostra como os pais e as aulas de educação sexual, têm papel importante na hora de ensinar aos adolescentes coisas importantes, sobre o que é a sexualidade, como prevenir uma gravidez e etc. Ah! Também mostra o lado das mulheres e em como muitas se sentem pressionadas à iniciar a vida sexual mais cedo, somente por que o parceiro quer, e não por que ela realmente se sente a vontade. Felizmente, o final dá uma amenizada nessas relações supérfluas, onde somente o ato do coito é levado em conta, e mostra como as relações de amizade e confiança são muito mais importantes.


Em suma, é um filme para ver com os amigos para matar o tempo e também ver adolescentes passarem apertado. (E eu tentaria ver bêbado(a) também rs). Assim como os protagonistas do filme, a media do filme é o suficiente para passar de “ano”.

NOTA

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS