Ana Caetano e Vitória Falcão formam o duo de sucesso Anavitória (sim, são duas cantoras e não apenas uma como minha mãe acha). As meninas do interior do Tocantins são um fenômeno na internet, somando mais de 80 milhões de visualizações em seu canal no Youtube. Ganharam um Grammy Latino na categoria de melhor música em língua portuguesa (Trevo (Tu)) e arrastam uma multidão de fãs por onde passam. O que mais fazer? Por que não um filme? A partir de uma ideia de Felipe Simas surgiu o longa Ana e Vitória.

anavitoria-ana-e-vitoria-filme Crítica | Ana e Vitória

Primeiro é preciso deixar claro que Ana Caetano e Vitória Falcão não são atrizes, as cenas nas quais interagem uma com a outra são de uma naturalidade monstruosa, uma química inigualável, o problema e quando as mesmas interagem com os demais atores, a falta de experiência atrapalha e a naturalidade evapora. Isso prejudica um pouco o andamento do filme.

O filme é definido como uma “comédia romântica musical”, e cada um dos itens é abordado no filme. Temos os momentos para dar boas risadas, em situações que ocorrem em especial com as duas cantoras em suas conversas descontraídas. Músicas (e que músicas) essas são as melhores partes do filme, elas fluem com naturalidade e dão leveza a narrativa. E o romance que é o foco principal deste longa. A busca pelo amor é o que dá (ou tenta dar) uma direção a trama. O amor aqui é retratado de forma leve e sem preconceitos.

header-1-2-696x364 Crítica | Ana e Vitória

Matheus Souza (Apenas o Fim) escreveu e dirigiu o longa e conseguiu de um modo criativo usar bem a questão das redes sociais e como resultado temos belas sequências, que se fundem as canções e são lindas de se ver. Porém o diretor/roteirista peca em não dar profundidade as personagens. A carreira delas é resumida em: elas se conhecem, estouram na web, viram sucesso e fim. Não há carga dramática ou algo que faça o espectador se conectar à trama. O modo escolhido pelo diretor para apresentar a narrativa, que possui alguns furos e clichês, combina mais com uma série de três ou quatro capítulos do que com um longa, o final por exemplo é vago é passa a impressão de que haverá uma continuidade.

Entre erros e acertos Ana e Vitória é um filme que fala sobre o amor, de modo livre e sem medo, além de retratar uma bela amizade. Os fãs irão amar e quem não for fã vai virar, pois Anavitória e suas canções são as melhores coisas de todo o filme.