Crítica | Artemis Fowl: O Mundo Secreto

Veja nossos últimos stories

Artemis Fowl: O Mundo Secreto é a adaptação de uma famosa saga literária infanto-juvenil que tinha muito potencial de ser tornar uma franquia no cinema, do tipo Harry Potter ou Jogos Vorazes. Falei: “tinha muito potencial”, pois dificilmente veremos uma sequência dessa bomba que a Disney produziu.

Já dizia minha avó: “A pressa é a inimiga da perfeição”. O filme tenta, sem sucesso, adaptar não um, mas sim os dois primeiros volumes da série. Para construir mundos fantásticos primeiros precisamos construir uma base sólida, apresentar bem os personagens (pelos menos os protagonistas) e a partir disso viajar pra onde se deseja ir. O filme só faz a última parte. É uma viagem de ideias e propostas sem fim, que não levam a lugar nenhum. Pra ter ideia, essa é a sinopse oficial do filme: “Artemis Fowl é um garoto de 12 anos muito inteligente que usa sua capacidade para roubar. Um dia, ele descobre um local mágico chamado mundo das fadas. Decidido a roubar a fortuna local, ele sequestra um elfo e cobra um resgate para libertá-lo.” O que vemos em tela, não é nem sombra dessa proposta. O roteiro não consegue construir quase nada. O personagem principal é chato, no ponto de vista do roteiro ele é um gênio incompreendido, do nosso ele é apenas um mimado rebelde sem causa e arrogante que não conquista a nossa simpatia.

No livro ele é descrito como mau humorado, mas aqui ele beira ao insuportável. Além disso a relação entre pai e filho que deveria ser o fio condutor desta narrativa, beira a inexistência. O restante da trama é boba e corrida, tudo culpa dos QUATRO roteiristas Conor McPherson, Michael Goldenberg, Hamish McColl e Adam Kline que distorceram muita coisa do material de origem (que é muito bom).

Os efeitos especiais tem altos e baixos, alguns muitos baixos. Mas vale citar que o mundo das fadas é o ponto alto da projeção, nesse universo a direção de arte abusou das cores e belos design de produção, o restante é comum e não possui nada marcante.

A direção de Kenneth Branagh (Thor) erra ao escalar o elenco: Colin Farrell está no piloto automático e deve ter gravado suas cenas em dois dias, só a pressa pra explicar tanta falta de dedicação do ator. O estreante Ferdia Shaw fracassa em seu papel como protagonista, Judi Dench (Cats) usa a voz da mulher do google apenas para proferir ordens e Josh Gad (Frozen), com sua voz de Batman, é o alívio cômico mais sem graça do ano. Mas além de escalar/dirigir o elenco mal, Branagh possui pouca inventividade nas cenas de aventura que estão em sua maioria longe de empolgar, o que para um filme infanto juvenil de aventura é uma lástima.

Artemis Fowl: O Mundo Secreto é uma falta de respeito com os fãs do livro, que irão ficar decepcionados com essa obra. Um filme sem alma, coração e sentido. Afinal de contas pra que “deabos” serve aquela arma? Pra nos decepcionar? Se a resposta for sim, parabéns Disney dessa vez você conseguiu.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Maligno – Confira a crítica do filme Crítica – O Mauritano What If…? – Confira os easter eggs do sexto episódio! Crítica – The Voyeurs Confira 10 séries imperdíveis no Star+ Crítica – Sex Education: 3ª Temporada