Close, mais um original Netflix é estrelado por Noomi Rapace, que interpretou inúmeras cópias dela mesma no ano passado, em Onde Está Segunda?. E retorna para o novo longa, Close onde ela vive uma segurança guarda-costas, uma personagem baseada nas mulheres dessa profissão, e Rapace chega em uma posição durona e rigorosa para mostrar para que ela veio.

O longa usa esteriótipos a seu favor, e coloca a personagem de Rapace, que tem estado nas mais difíceis missões, para cuidar de Zoe (Sophie Nelisse) uma adolescente herdeira de uma fortuna, e para ela isso mais parece um trabalho de babá do que uma perigosa missão. Porem acaba aceitando o trabalho que tem um contrato limitado, então aceitando o dinheiro, vai cuidar de Zoe, mas o que ela não esperava é que seu simples trabalho iria virar um pesadelo, quando sequestradores começaram a persegui-las.

close-starring-noomi-rapace-1-cropped Crítica | Close (Netflix)

Falando da Zoe, ela é a tipica menina riquinha, que não tem a atenção necessária, e mesmo tendo dinheiro, ele não compra sua felicidade. Depois que seu pai morreu e ela está sob os cuidados de sua odiada madrasta, ela fica ainda mais retraida e mimada. Mas mesmo a própria personagem sendo estereotipada a diretora Vicky Jewson faz o favor de não colocar ela sendo o centro da narrativa, ninguém aguentaria tanto clichê junto.

Tomando o real foco, a relação entre as duas e o extensivo trabalho de ser um guarda costas, Nelisse não conseguiu ter um destaque merecido, pois seu papel foi encoberto pela excelente atuação de Rapace que está entregando uma personagem com um grande passado, e terá que deixar isso de lado, para seguir com a missão de cuidar de Zoe, mesmo com o seu contrato expirado.

Mesmo com uma performance de Rapace digna de um filme nota 10, Close tristemente é cheio de clichês, que você encontra em todas as cenas, desde as falas são ditas em forma de “não faça isso…” você evidentemente, sabe que pessoa fará isso. Ou até mesmo nas ações realizadas pelas personagens, tudo é um grande conglomerado de clichês e esteriótipos.

Dificilmente o filme atingirá patamares semelhantes a Bright ou Onde Está Segunda? que são produções anteriores da atriz, esse é no máximo um filme mediano que as pessoas assistiram uma vez por conta do Hype, que atualmente está alto pelas produções da Netflix.