Crítica | Cobra Kai (4ª temporada)

Veja nossos últimos stories

Adeus ano velho, feliz temporada nova. Chegou a Netflix a 4ª temporada de Cobra Kai. No novo ano Sam (Mary Mouser) e Miguel (Xolo Marideuña) conseguem convencer seus respectivos senseis a trabalharem juntos para derrubar a Cobra Kai, que está sendo liderada por John Kreese (Martin Kove). O novo ano possui muita coisa boa e algumas que deixam a desejar, o saldo final dessa nova premissa, você confere abaixo:

Netflix/Divulgação

O resultado é positivo, mas não atinge as expectativas criadas. Durante três temporadas Johnny Lawrence e Daniel LaRusso viveram as turras. A 1ª temporada focou em mostrar como estava a vida deles e como eles lidaram com as glórias e fracassos do passado, a 2ª temporada apostou na introdução de uma nova geração e a 3ª lidou com as consequências dessa rivalidade. A 4ª temporada basicamente volta a estaca zero e ambos continuam com uma picuinha que não acrescenta em nada a narrativa da série e que quase desfaz toda a evolução da dupla. Ver os personagens agindo do mesmo jeito, após todas a lições vistas e abordadas em três temporadas é broxante. A pieguice característica da série segue, mas dessa vez o roteiro exagera na dose, mas nada que atrapalhe a série. Esses são os pontos mais negativos do novo ano.

O retorno do personagem Terrance Silver é ótimo e parece que Thomas Ian Griffith por anos viveu o personagem, seus jogos mentais e manipulação fazem dele o grande vilão dessa temporada, que ainda conta com a ajuda de Kreese (Martin Kove) que segue sendo um antagonista de peso. Mas é preciso comentar que a sua inserção de Terry Silver na trama, acontece de modo extremamente forçado e sem nenhuma justificativa. A dinâmica entre os protagonistas, vilões e integrantes das equipes rivais é o grande coração dessa temporada. Diversos coadjuvantes tem mais espaço em cena, para mostrar e aprofundar seus dramas e arcos. A nostalgia segue sendo um grande elemento da temporada e funciona como uma base sólida para que as relações e a trama consigam fluir, nada é apresentado de modo gratuito, tudo tem uma função. Nos episódios temos diversos easter-eggs e referências aos filmes que devem fazer a alegria dos fãs de Karatê Kid. O penúltimo episódio da temporada deve fazer os fãs pirarem. O foco da nova temporada é a preparação para o campeonato e mais um episódio seria ótimo para introduzir a competição, que surge quase que do nada. As cenas de luta seguem sendo muito bem coreografadas e são de cair o queixo, tudo apresentado na produção é repleto de momentos épicos.

Netflix/ Divulgação

O elenco é ótimo, além dos retornos citados e dos atores já conhecidos é necessário destacar Griffin Santopietro, que apresenta uma versão mais agressiva de Anthony e Dallas Dupree Young que estreia na série e de todos é o que possui o arco mais interessante da temporada.

Para o bem ou para o mal, a nova temporada segue o lema de Terry Silver: “Situações extremas exigem medidas extremas.” Essa quarta temporada é isso, quando acerta é épico, quando erra é tenebroso. Mas mesmo assim a quarta temporada segue apresentando jornadas emocionais cativantes e que farão os fãs contarem os dias para a 5ª temporada. Que ela venha logo!

Publicidade

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Munique: No Limite da Guerra – Confira a crítica do filme! Spencer – Confira a crítica do filme, por André Guerra! Spencer – Confira a crítica do filme! O Senhor dos Anéis – Confira o primeiro teaser da série! O Beco do Pesadelo – Confira a crítica do filme! Neymar: O Caos Perfeito – Confira a crítica do documentário!