Crítica | Como Vender Drogas Online (Rápido)

Breaking Bad foi um marco na história da tv mundial. Produzida por Vince Gilligan. Ela retrata a vida do químico Walter White, um homem brilhante frustrado em dar aulas para adolescentes do ensino médio que é diagnosticado com um câncer no pulmão levando ele a abraçar uma vida de crimes para pagar suas dívidas hospitalares e dar uma boa vida aos seus filhos. Walter resolve produzir metanfetamina com seu ex-aluno, Jesse Pinkman. Como Vender Drogas Online (Rápido), nova série da Netflix, tem uma premissa similar a Breaking Bad e irá conquistar o público pelo seu carisma e modo frenético de contar uma história insana.

A sinopse da série pouco lembra Breaking Bad. Aqui temos o jovem Moritz (Maximilian Mundt) que deseja reconquistar sua ex-namorada, que está em um relacionamento com o traficante de drogas da escola, Moritz toma uma atitude ousada: vender drogas na internet. Com a ajuda de Lenny (Danilo Kamperidis), seu melhor amigo, ele cria um mercado de entorpecentes online, que rapidamente faz sucesso. Aqui na série não vemos um traficante obscuro e maldoso, mas sim alguém que faz o que faz por – a princípio- um motivo nobre. Este é um dos vários acertos da série alemã criada por Philipp Käßbohrer e Matthias Murmann.

A história é narrada de modo a quebrar a quarta parede, em diversos momentos o protagonista conversa diretamente com o espectador, fazendo este de cúmplice de suas atitudes. Os atores estão ótimos e a química entre eles é impecável e nos vemos torcendo pelos traficantes, mais loucos e carismáticos da tv. A série possui espaço pra falar sobre vários temas: tecnologia, dos problemas da geração z, dos dramas dessa idade, de sexo e claro sobre drogas! A apresentação sobre o MDMA no primeiro episódio é sensacional.


A estética escolhida pra falar sobre esses temas é maravilhosa e única! Tudo é muito caprichado e feito com bastante atenção aos mínimos detalhes. Desde as páginas online até os animais que aparecem na série. Toda essa estética e fotografia é perfeita! Tudo isso é acompanhado de um roteiro ágil e frenético. O segundo episódio traz uma explicação sobre o funcionamento da “Deep Web” pra lá de criativa. As drogas na série tem a função de mostrar a artificialidade das relações humanas nesse século no qual temos o mundo em nossas mãos.

A série possui apenas 6 episódios, de 30 min cada, o que faz com que ela seja maratonada bem rapidinho. Isso pode deixar um gosto amargo no seu final, pois está série vem pra viciar. Por falar em final ele deixa lacunas em aberto e ocorre de modo abrupto. Que venha logo a segunda temporada pra saciar o nosso vício!!!

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Pela manhã trabalho escrevendo no Estação Nerd, de noite combato o crime nas ruas do Recife.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...