Crítica | Contato Visceral (Wounds)

Veja nossos últimos stories

Contato Visceral (Wounds) é um filme de terror psicológico escrito e dirigido por Babak Anvari e estrelado por Armie Hammer (A Rede Social), Dakota Johnson (Cinquenta Tons de Cinza) e Zazie Beetz (Coringa).

O filme conta a história de Will, um barman que trabalha em um bar chamado Rosie’s, um ambiente mal frequentado e infestado de baratas. Uma noite enquanto Will trabalha na companhia de seus amigos e adolescentes que estão no bar, Eric, um bêbado local, se envolve em uma briga e tem o rosto cortado com uma garrafa. Enquanto Will chama a polícia, os adolescentes que estavam gravando a briga pelo celular, fogem por serem menores de idade, e acabam esquecendo um celular. Will então encontra o aparelho e o leva para casa na esperança de que alguém perceba a perda e o procure. A trama começa a se desenrolar quando Will consegue desbloquear o aparelho, passa a receber mensagens e fotos perturbadoras e começa a passar por situações bizarras.

Dadas as informações, vamos à minha percepção sobre a narrativa.

Ao meu ver, a ideia inicial do filme era criar um terror psicológico que se inspira na dependência do celular que muitas pessoas tem. Porém, a história toma rumos confusos e que deixam muitas situações inexploradas e sem sentido.

Confesso que durante algum tempo esperei mesmo que o “mal” tomasse uma forma, visto que durante o filme ele transita entre a ideia dos adolescentes que esqueceram o celular, um fantasma, uma possessão demoníaca, uma infecção ou até mesmo as próprias baratas. Porém percebi que o autor perdeu o foco e acabou optando por tudo isso misturado.

- Advertisement -

Em alguns momentos fiquei intrigada sobre as situações deixadas em aberto. Será que a ideia do autor era criar metáforas para que o público fizesse sua própria interpretação? Será que ele realmente esqueceu de dar pontos finais às tramas? Ou será que ele realmente imaginou que não houvesse problema e que ninguém se daria conta desse problema?

Quanto às atuações, apesar de gostar dos atores em outras produções, achei que nenhum deles foi bem explorado em Contato Visceral. Por mais que Hammer, Dakota e Beetz sejam atores expressivos e renomados, todos os papeis os limitaram de tal forma, que confesso ter sentido pena por terem se sujeitado a atuar neste filme!

No mais, além de ter perdido 1:35 do meu tempo, a única coisa que Contato Visceral me rendeu foi uma certa tensão e expectativa por momentos que não aconteceram.

Contato Visceral estreou no catálogo da Netflix em 18 de outubro de 2019. Confira abaixo o trailer.

Revisão Crítica

NOTA:
Dayana Maiahttps://estacaonerd.com
A louca das séries e filmes. Apaixonada pelo universo Marvel e DC (não sou capaz de escolher um só), indie rock, livros, games e café. Aguardando a abdução alienígena.

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Confira a crítica de Amor e Monstros Especial 10k no Youtube 3 estreias da Netflix para ver nesse final de semana Confira a crítica de Radioactive As 3 séries mais vistas na Netflix Confira o trailer de Army of The Dead