ter, 2 agosto 2022

Crítica | DC Liga dos Superpets

Publicidade

Há momentos em que a DC Liga dos Superpets é engraçada e ricamente concebida, com montagens sem palavras e quadros silenciosos que percorrem a linha entre o mítico e o ridículo. Afinal, é uma história sobre o cão de estimação do Superman, Krypto, um acessório menor nos quadrinhos e shows, esbarrado aqui para uma parte integrante da origem do herói.

O filme animado da DC, embora seja uma comédia sobre uma equipe desalinhada de heróis bichos (é baseado nos personagens da DC Comics, a Legião dos Super-Pets), também é um filme que abre espaço para o famoso semideuses do universo DC; é uma extravagância completa de super-heróis. Ao assisti-lo, o que você percebe – é algo que todos sabemos, mas não pensamos com muita frequência – é que os gigantescos espetáculos de filmes de quadrinhos nos quais nossa cultura é totalmente viciada são todos, em essência, desenhos animados.

A Liga dos Superpets expõe essa realidade, não apenas porque é um filme de animação, mas porque tem uma ousadia que coloca tudo à beira da sátira. O filme parece estar dizendo: Por que uma equipe heterogênea de super-animais de estimação – ou, nesse caso, a Liga da Justiça – seria tudo menos leve e atrevida e, às vezes, ridícula? Quem interpretaria um vilão megalomaníaco? Por que você consideraria isso tudo menos coisa de criança? O filme, em sua maneira espirituosa, alegremente convencional e agradável acaba com a fantasia de super-herói. 

Publicidade

A sequência de abertura repete a cena da história de origem do jovem Superman sendo colocado em uma nave espacial por seu pai, Jor-El, para que ele possa escapar de seu planeta natal, Krypton, prestes a ser destruído. Só que neste caso o melhor amigo do garoto pula na cápsula junto com ele – é seu cachorrinho, que na Terra cresce para ser Krypto (Marcelo Garcia), seu fiel companheiro canino, que possui os mesmos poderes que o Superman. Ele é um cão de aço que pode voar e tem visão de raio-X. Ele também é, quando tenta esconder sua identidade, um trapalhão encantador cachorro.

Mas há problemas no super-paraíso. Superman (Guilherme Briggs), também conhecido como Clark Kent, se envolveu seriamente com a repórter de TV Lois Lane (Aline Ghezzi) e está prestes a pedi-la em casamento. O que significa que Krypto será empurrado para fora da cama. O filme dá vazão a essa ansiedade canina melancólica, a ponto do filme, mesmo quando se torna uma aventura agradavelmente exagerada, muitas vezes  traz uma vibe A Dama e o Vagabundo, só que dirigido por Michael Bay.

Superman espera encontrar Krypto um companheiro para mantê-lo ocupado, que é onde o co-líder do filme entra em cena: um cão de abrigo chamado Ace (Duda Espinoza), que deveria ter uma disposição rude. Ace está cercado por um punhado de outros animais de estimação em potencial à espera de adoção, que adicionam uma sensação de cor aos procedimentos. Priscilla Alcântara dá voz a PB, uma porquinha entusiasmada e fã da Mulher Maravilha; Chip (Marco Luque), um esquilo ansioso; Ilka Pinheiro dá voz à tartaruga desbocada e centenária Mirtes, que mal consegue enxergar; e completando a equipe do abrigo está a cobaia calva Lulu, uma ex-experiência da LexCorp que agora tem seus próprios planos megalomaníacos.

Um fragmento da substância acaba no abrigo, concedendo poderes próprios aos vários animais. O PB pode encolher ou crescer dez andares. Chip tem poderes de raio como o Imperador Palpatine. Mirtes, ironicamente, ganha super velocidade – embora ela lembre sua equipe que ela “ainda não pode ver [bip]” – enquanto Ace se torna invulnerável, e Lulu ganha telecinesia quase ilimitada a par da Fênix Negra. Krypto, por outro lado, perde seus poderes após ingerir um pouco de Kryptonita.

Os recém-formados Superpets precisam entrar em ação porque a Liga da Justiça, do Superman, foi capturada e aprisionada por Lulu. No entanto, os heróis humanos ainda figuram na ação, para não mencionar a comédia. Duda Ribeiro é a voz do Batman mais uma vez. Cada linha sua é uma declaração retumbante de algo sobre O Cavaleiro das Trevas que na verdade não faz sentido (“Batman trabalha sozinho. Exceto Robin e Alfred”), e Duda Ribeiro faz cada fala valer a pena.

O enredo é… um enredo. Ocupado e frenético e diagramado. Mas há momentos versáteis o suficiente ao longo do caminho, como aqueles envolvendo um gatinho super fofo com voz de bebê que tosse granadas de bola de pêlo e tem sete vidas. DC Liga dos Superpets termina com um confronto de monstros gigantes que é muito padrão. Há muitas piadas e referências que valem a pena rir enquanto Super-Pets constrói seu enredo. Por um lado, o conceito do filme é que nenhum dos animais está realmente falando com os humanos, então é engraçado a primeira vez que corta de um close-up de diálogo intenso para uma cena ampla de Krypto latindo para um incrédulo Superman (ou Lulu chiando para sua paixão humana, Lex), mas é um pouco menos engraçado na segunda vez, e muito menos engraçado quando se torna a única opção real para interação humano-animal.

Publicidade

Há, por exemplo, uma tentativa de um flashback melancólico, tipo Toy Story, centrando o abandono de Ace, mas como quase todos os outros personagens, ele realmente não tem uma história até que se torne relevante para o enredo principal. Então, ele não carrega o peso que deveria. Quanto mais o filme avança, mais seus silêncios e ação batem a terra, mas mais suas piadas e cenas de diálogo frequentes entendiam, paralisando as coisas.

Os pets super poderosos acabam com a ponta curta do bastão; nem suas histórias são tão ricas quanto o filme espera, nem são realmente engraçadas além de algumas referências em quadrinhos fugazes. Temos o  Batman recebendo a despedida que merece, que é ser lambido de cachorrinho logo de cara. Isso é o suficiente para deixá-lo sorrindo, e o público também.

DC Liga dos Superpets chega aos cinemas no dia 28 de julho.

Publicidade

Newsletter

Destaque

Crítica | Vai Dar Nada

Estreia nesta quarta no streaming do Paramount+, Vai Dar...

A Queda | Suspense estrelado por Jeffrey Dean Morgan ganha teaser e pôster oficial; Confira!

A Paris Filmes revelou o primeiro teaser oficial de A Queda (The Fall)....

Andor | Confira o trailer da nova série Star Wars do Disney+

Andor, nova série excluiva Disney+ teve seu trailer revelado....