qui, 2 fevereiro 2023

Crítica | Esquema de Risco: Operação Fortune

Publicidade

Quando se produz muito em uma indústria, acaba se produzindo muito do mesmo, e quando se tem muito do mesmo é necessário ter elementos que destaquem para que o conjunto da obra seja realmente notável. E é isso que acontece atualmente com os filmes de ação. Foram feitos muitos filmes de ação nos últimos anos, cada um com sua trama e suas peculiaridades. A partir de certo momento, começa a se notar um padrão onde os elementos são os mesmos, não há mais nada de inovador que vá te deixar boquiaberto, mesmo quando se trata de um filme bom. Por isso se tornou um desafio tão grande criar um filme de ação que não prenda a atenção do público apenas por efeitos especiais de qualidade ou cenas de tirar o fôlego, mas que tenham uma trama cativante e atraente.

E é nesse ponto em que Esquema de Risco: Operação Fortune acerta em cheio. Na trama, o espião Orson Fortune (Jason Statham) é escalado para rastrear e impedir a negociação de uma nova tecnologia de armas mediada por Greg Simmonds (Hugh Grant). Ele se junta à Nathan Jasmine (Cary Elwes), Sarah Fidel (Aubrey Plaza) e J.J. (Bugzy Malone) na missão de impedir que uma catástrofe iminente aconteça.

A boa notícia é que o filme é bom em sua proposta. Trazendo uma trama envolvente, com personagens cativantes, doses altas – contudo saudáveis – de humor e ação de forma leve e descontraída. É um filme que por mais que traga um quebra-cabeças consigo, não tem grandes complexidades, nem nenhuma ponta solta. O grande ponto alto do filme é realmente não ser complexo, ele é previsível, mas cheio de aventura e diversão. Com uma fotografia impecável, realçando o melhor de seus cenários exuberantes e das suas cenas tomadas de sentimento através da arte. As paisagens exóticas, a escolha de ambientes, tudo milimetricamente calculado para tornar a experiência do espectador ainda mais inebriante. 

DSC08960.ARW
Publicidade

A escolha dos atores não foi menos bem-sucedida: Jason Statham dá o ar necessário ao personagem principal, sendo um espião descontraído, de grande porte e cercado de regalias. Ainda mais que Statham, Aubrey Plaza como sempre dá um show de atuação, carisma e sensualidade, trazendo um tom cômico e uma feminilidade confortável ao filme, roubando a cena em todas as suas aparições no filme. Hugh Grant também merece lugar de destaque com seu carisma eminente e sua perspicácia em nos trazer um vilão carismático e cativante.

Com um quebra-cabeças enigmático mas despretensioso, Esquema de Risco: Operação Fortune traz a trama que inicia com o pé direito as obras de ação no cinema no ano de 2023.

Publicidade

Destaque

Crítica | Alice in Borderland (2ª Temporada)

Estreou na Netflix a segunda temporada de Alice in...

A Lista Terminal | Série estrelada por Chris Pratt é renovada para sua 2ª temporada; Confira!

Segundo informações do Deadline, o Prime Video renovou a série A Lista...

Crítica | Caleidoscópio (Kaleidoscope)

Em 1903, o diretor Edwin S. Porter gravou o...

Deixe um comentário