Crítica | Estrada Sem Lei

Possivelmente Bonnie e Clyde foram o casal de criminosos mais romantizado na história americana. Eles eram dois jovens do Texas, condenados por impulsivos crimes nos anos 30. O casal foi o maior sinônimo de uma era marcada por mulheres que portavam rifles automáticos e homens que roubavam bancos e dirigiam carros conversíveis. Nessa época a vida era vivida com pressa, pois ela era curta.

Bonnie e Clyde já tiveram filmes e séries sobre sua vida, o mais marcante é Uma Rajada de Balas (de 1967) que contou a história desse casal fora da lei, agora afim de uma outra perspectiva a Netflix lança, Estrada Sem Lei que conta a história do ponto de vista de dois ex-policiais que perseguiram sem trégua o casal de criminosos por metade dos E.U.A .

Como a perspectiva do filme é voltada para os captores de Bonnie e Clyde, o filme deixa de lado o glamour da criminalidade, omitindo a todo momento os rostos dos criminosos (particularmente gostei bastante disso). Para compensar essa decisão, o longa mostra toda a atenção da mídia para o casal e a devoção que os mesmo tinham da população na época, mostrando que para o povo eles eram heróis e os bancos (culpados pela crise) eram os vilões.


A dupla de protagonista do longa, vividos por Kevin Costner (O Guarda Costa) e Woody Harrelson (Venom) possui uma química poderosa e carrega os melhores momentos deste longa com suas atuações. O roteiro usa uma abordagem moral e social questionável, já que divide o filme em dois eixos. O eixo dos bons (polícia) e o dos malvados. Os malvados (Bonnie e Clyde) são monstros, sem alma e coração. A direção de John Lee Hancock (Fome de Poder) é correta e extrai boas performances de seu elenco. Porém peca no ritmo da trama, que é arrastado até o terceiro. Neste ato o filme se perde entre idas e vindas que não acrescentam em nada a trama. Além de seu momento final ocorrer de modo acelerado, o que tira um pouco do impacto do final.

Estrada Sem Lei é um bom filme da Netflix. Que mistura elementos de road-movies com uma boa trama policial, que é atrapalhada pelo ritmo escolhido para contar a sua versão da história. Para ver o outro lado da moeda assistam Bonnie & Clyde, também disponível na Netflix, e faça sua escolha de quem é o certo nesta história.

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Lupin | Série estrelada por Omar Sy quebra recorde na Netflix

Lupin quebrou um recorde na Netflix, segundo informações do Deadline. A série é a primeira produção francesa a estrear no TOP 10 de produções...

Crítica | Batman: Soul of the Dragon

A nova aventura da DC Comics se inspira nos anos 70, para reformular o DCU. Batman: Soul of the Dragon, é divertido e...

Armie Hammer é acusado de canibalismo e abuso

O ator Armie Hammer (Me Chame Pelo Seu Nome) foi acusado de abuso e canibalismo na madrugada desta segunda-feira (11). Em prints vazados,...