ter, 27 setembro 2022

Crítica | Eu Nunca… (3º temporada)

Publicidade

A série temática de estudantes do ensino médio da Netflix retorna à vida. Após a morte de seu pai, Devi (Maitreyi Ramakrishnan) foca em sua busca para ganhar algum status social. Ao longo da série, Devi continua se destacando em seus estudos e equilibrando as expectativas rígidas de sua mãe. Com um elenco divertido e eclético para completar o arco da protagonista, a terceira e nova temporada conseguiu equilibrar travessuras exageradas com um coração genuíno e realmente acertou os grandes sentimentos de ser adolescente.

Esta nova temporada tem um pouco disso, mas os criadores parecem determinados a colocar tudo no caminho certo para onde todos os personagens precisam estar para a quarta temporada e último ano. Mesmo tendo subtramas rápidas demais.

Após o final selvagem da segunda temporada, a terceira temporada de Eu Nunca… explorará o relacionamento de Devi e Paxton com mais detalhes, agora que os dois estão namorando. Será tudo tranquilo? Haverá alguns solavancos na estrada? (Quero dizer, é Devi Vishwakumar, é claro que haverá alguns solavancos na estrada).

Publicidade

Enquanto Devi está finalmente vivendo seu sonho de ter um relacionamento com o cara mais gostoso da escola, ela ainda está obcecada no que as outras pessoas pensam sobre ela, o que acaba fazendo com que ela duvide dos sentimentos de Paxton (Darren Barnet). Enquanto isso, seus amigos lidam com seus próprios problemas de relacionamento: a nerd de robótica Fabiola (Lee Rodriguez) tenta navegar de repente em um relacionamento de longa distância; a garota do teatro Eleanor (Ramona Young) nem tem certeza se o amigo preguiçoso de Paxton, Trent (Benjamin Norris), está afim dela; e o rival acadêmico de Devi, Ben (Jaren Lewison), continua atrapalhando seu relacionamento com a atleta Aneesa (Megan Suri). Em casa, a prima de Devi, Kamala (Richa Moorjani), lida com a decepção de sua avó depois que ela recusou uma proposta de casamento.

Mas mesmo que ela esteja vivendo o sonho, a terceira temporada revela que as coisas não são super fáceis. Por um lado, todos os adolescentes populares da escola estão olhando torto para Devi. Mas na verdade ninguém se importa com ela. Como sua terapeuta aponta, talvez entrar em um relacionamento não seja a solução mágica para todos os seus problemas. “Boa tentativa, Dra. Ryan,” Devi atira de volta. “Todo o álbum de Olivia Rodrigo discordaria de você.”

Tudo isso parece uma configuração e enredo suficientes para alimentar uma temporada inteira, mas a série resolve todos esses pontos separados da trama rapidamente – apenas para introduzir problemas completamente novos que também são resolvidos rapidamente. Eu Nunca… é uma comédia composta por episódios de 30 minutos, então espera-se algum nível de distanciamento episódico. Mas desta vez, os fios que conectam os episódios separados parecem mais finos do que nunca. Não é bem uma fórmula de comédia de “um problema por episódio”, mas não tem tanta linha desta vez em comparação com as temporadas anteriores.

Parte do motivo é porque o elenco é muito maior. A terceira temporada não explora apenas a vida de Devi e seus amigos, mas também mergulha nas jornadas da mãe de Devi, de  Paxton e Kamala. Isso está bastante alinhado com as temporadas anteriores, onde o enredo de Fabiola e o relacionamento complicado de Eleanor com sua mãe ajudaram a aprofundar seus arcos de personagens. Mas desta vez, há tantos personagens que alguns deles naturalmente caem no esquecimento. Quando um deles tem um grande momento na história, ele é construído para um ou dois episódios antes de ser amarrado às pressas e guardado para que outra pessoa possa ter os holofotes.

Pode haver comentários sobre como os dias de escola passam tão rápido, mas não parece intencional. Os personagens são apresentados, construídos com uma importância incrivelmente pertinente ao enredo, e então rapidamente descartados. Faz sentido, já que o foco sempre precisa voltar para o elenco principal de personagens. Mas o elenco principal nem interage direito. Kamala, por exemplo, tem toda uma epifania sobre não querer definir sua vida pelos marcos do casamento, apenas para basicamente desaparecer na metade da temporada depois que ela entra em um relacionamento. Os problemas românticos de Aneesa se tornam um ponto crucial da trama e nunca mais surgem. Devi e Ben, em particular, não têm tantas cenas quanto antes.

Isso não quer dizer que Ben está completamente excluído. Ele tem uma parte considerável, e cresce como personagem. Todos eles. Como em qualquer história de amadurecimento, os personagens no centro amadurecem e aprendem um pouco mais sobre si mesmos e o mundo ao seu redor. E há momentos no final em que suas jornadas parecem fundamentadas e completas. Devi é a personagem principal, então seu crescimento de uma pessoa egoísta, insegura e impulsiva para alguém capaz de sentar e processar as grandes mudanças em sua vida é satisfatório.

Publicidade

O que acontece quando você consegue tudo o que pensou que sempre quis? A resposta nunca é linear, nem mesmo para alguém tão seguro de seus desejos quanto Devi. Felizmente, Eu Nunca… enfatiza sua evolução, e é uma mudança de ritmo bem-vinda testemunhar como ela amadurece mesmo com pedras surgindo em seu caminho, sejam românticas, acadêmicas ou familiares.

Com temas um pouco mais adultos, os 10 episódios, vão proporcionar aos telespectadores muita fofoca, problemas que todo adolescente já sofreu (inseguranças, sexo, sonhos) e novos personagens que vão mexer tanto com a cabeça de Devi como com os dos fãs.

A nova temporada de Eu Nunca… estreia no dia 12 de agosto, próxima sexta-feira.

Publicidade

Newsletter

Destaque

HBO Max lança o teaser oficial de “THE LAST OF US”

THE LAST OF US, a série dramática original da...

Sr. e Sra. Smith | Wagner Moura é confirmado no elenco da nova série do Prime Vídeo; Confira!

Segundo informações da Variety, Wagner Moura (Narcos) foi confirmado no elenco...

Disney D23 | Confira todos os anúncios da Lucasfilm, Marvel e 20th Century

Ontem, no Anaheim Convention Center, a The Walt Disney...