Quem, assim como eu, não conhecia a história de Tonya Harding (Margot Robbie) vai grudar na poltrona durante as duas horas de filme. Tonya Harding foi um patinadora artística de sucesso nos anos 90, que se envolveu em uma polêmica com uma concorrente. Só por isso, já merecia um longa-metragem, mas a narrativa começa bem antes.

Tonya Harding nasceu em Portland, EUA, filha de Al Harding (Jason Davis) e Lavona Fay Golden (Allison Janney). Desde pequena, já mostrava aptidão para o esporte, então sua mãe a matriculou em aulas de patinação, mesmo contra a vontade da professora. Apesar do bom desempenho de Tonya nos ringues de patinação, Lavona era completamente rígida e por muitas vezes maltratava a menina.

Aliás, a história de Tonya é cercada por abusos e maus-tratos. Ainda na adolescência, Tonya conheceu Jeff Gillooly (Sebastian Stan) com quem se casou anos depois. Tonya e Jeff sempre tiveram uma relação conturbada, de idas e vindas, resultando em  cenas perturbadoras de agressões de Jeff em Tonya.

O filme é contado em uma espécie de falso documentário, no qual os personagens vão narrando as histórias que eles protagonizaram. Muitas vezes, as versões são confrontadas, cabendo ao espectador tirar suas conclusões. Algumas vezes, durante as narrações, é utilizado o recurso em que o ator se vira pra câmera e fala diretamente com quem está assistindo, quebrando um pouco a tensão do filme.

A plástica do filme fica por conta das belíssimas cenas em câmera lenta da Tonya dando piruetas no ringue de gelo.

A história que caminha para um final triste desde o início, se confirma mas de maneira inusitada. Tonya é acusada de fazer parte de um plano pra tirar sua principal concorrente dos ringues.

O plano é arquitetado por Jeff e Shawn, guarda-costa de Tonya, e executado por Shane Stant, que dá uma pancada no joelho da patinadora Nancy Kerrigan. O caso teve grande repercussão na época, sendo acompanhado pela imprensa do mundo inteiro.

O filme levou Margot Robbie a ser indicada ao Oscar de melhor atriz e a Allison Janney, o de melhor atriz coadjuvante, que já levou o Globo de Ouro pelo papel. Nas categorias técnicas, o longa concorre como melhor montagem. Nas telas brasileiras, o filme estreia dia 15 de fevereiro.