Crítica | Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars

Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars conta a história de uma dupla de músicos amadores da Islândia que são convidados a representar seu país no anual evento Eurovision (o festival realmente existe, sendo realizado desde de 1956). A participação dessa dupla na competição rende boas risadas e, surpreendentemente, boas canções! Essa é uma das mais divertidas comédias musicais do últimos anos e se bobear uma das melhores comédias originais da Netflix.

A Saga de Sigrit e Lars para alcançar o sucesso é divertida, repleta de bons números musicais e possui uma dupla de protagonistas pra lá de carismática. Mas o filme não é perfeito, possui algumas falhas na sua execução: o longa não se decide se faz uma homenagem ao festival ou uma sátira aos bastidores da competição, ficando num meio termo que mais atrapalha do que ajuda a produção. O longa perde diversas oportunidades de ser uma comédia marcante, se tornando apenas uma comédia comum. Pra piorar a narrativa lembra muito a do longa A Escolha Perfeita, que também é uma comédia musical.

O forte desse longa são as canções que encantam e são bem filmadas por David Dobkin (O Juiz) se tornando belos vídeos clipes em meio a um filme colorido, cheio de sotaques (alguns forçados demais) e diferentes estilos. Destaque para a canção Hometown e a cena da grandiosa festa na qual temos um grande mash-up de grandes sucessos internacionais. O roteiro escrito por Will Ferrell (Pai em Dose Dupla) e Andrew Steele (O Tigrão) por não saber qual caminho tomar (homenagem ou sátira) atira pra todos os lados com suas piadas. Algumas são boas outras nem tanto, mas o resultado é satisfatório no geral. Quem é for fã das comédias de Ferrell irá amar o filme. As atuações são boas no geral, o foco é a dupla protagonista. Os destaque desse longa são Rachel McAdams (Meninas Malvadas) que apresenta inicia a trama como uma sonhadora ingênua e termina como uma artista que encontrou a sua própria voz e Pierce Brosnan (007 – O Amanhã Nunca Morre) que mesmo com poucas cenas, mas diverte no papel do pai do personagem de Ferrell. O longa possui algumas participações especiais que farão a alegria dos fãs, fique de olho.


Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars é uma comédia divertida, repleta de boas canções que irão fazer a alegria dos apaixonados por festivais e musicais. O festival original no qual o filme se baseia, devido ao corona vírus não será realizado, fica essa comédia como dica para conhecer o mesmo.

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS