sáb, 4 fevereiro 2023

Crítica | Filho da Mãe – Um Reencontro com Paulo Gustavo

Publicidade

A perda de um dos maiores humoristas brasileiros dos últimos tempos foi doída. Paulo Gustavo, após entrar em ascensão e conquistar uma enorme fama no país, parecia ainda guardar em si o potencial para fazer muito mais. A saudade fica, mas ainda nos resta um último presente que vem em forma de documentário. Filho da Mãe – Um Reencontro com Paulo Gustavo, produção dirigida por Susana Garcia, pessoa também muito próxima do autor, é um registro espontâneo de um dos últimos ciclos do comediante que também guardava um elemento muito pessoal para seu desenvolvimento como artista: sua relação com a mãe.

Se Dona Hermínia conseguiu a proeza de capturar todo um imaginário da mãe carioca e, para além, se tornar um símbolo alegre e descontraído da mãe brasileira, foi graças à relação muito próxima de Paulo Gustavo com sua mãe, Déa Lúcia. A gratidão do ator à sua figura materna resultou no projeto que o documentário aborda e que dá seu nome, o show: Filho da Mãe. Essas apresentações se baseiam em números musicais e conversas bem humoradas da dupla de mãe e filho, que surgem principalmente como a forma que Paulo Gustavo encontrou de fazer uma homenagem em vida para sua maior inspiração.

O documentário vai abordar o vai e vem dos bastidores, as figuras próximas do ator durante a produção do show e intercalar essas gravações com entrevistas de pessoas que conviveram com Paulo Gustavo de perto. Evidencia também que se existem bastidores gravados aqui, é porque Paulo Gustavo já via um potencial de transformar essa experiência de produção em uma obra a parte no futuro, mas que sua morte acabou transformando o que restou deste material nas mãos de Susana Garcia, uma forma de construir uma homenagem à obra do ator em geral, abordando inclusive seus momentos de mais alegria nesse período, como o seu casamento e o nascimento de seus filhos, mas também retratando os momentos de iminência de sua morte.

Publicidade

 Por mais que o trabalho feito aqui seja um de reestruturação para tentar fazer uma homenagem à altura do humorista, é inevitável que acabe parecendo corrido, mesmo com suas quase duas horas de duração. A figura de Paulo era muito cativante e sempre parece que haveria mais a dizer, mas talvez essa seja a tragédia explicitada pela produção, Paulo se foi cedo demais. Suas conversas com sua mãe, papos sobre a infância, começo de carreira, entre outras coisas, são assuntos que renderiam muito mais em outro formato mas que acabam se restringindo dentro dessa duração.

A escolha da diretora pelo subtítulo de “reencontro com Paulo Gustavo” é acertada na medida em que mesmo se sabendo da ausência do ator, tudo parece estar sob seu controle ainda. Este documentário adentra sua intimidade de uma forma leve e guarda toda a tristeza de sua perda para seus momentos finais, priorizando a beleza de sua obra e as conexões que ele construiu em sua vida (mesmo que de forma relativamente superficial).

Filho da Mãe – Um Reencontro com Paulo Gustavo é essencial para quem é fã do Ator. Este documentário, que chega no Prime Video, nos aproxima um pouco do que era a mente por trás de um símbolo nacional que deixou todo um legado para trás que merece muito ser lembrado.

Publicidade

Destaque

Fabrizio Ferrohttps://estacaonerd.com/
Artista Visual de São Paulo-SP

Deixe um comentário