qui, 1 dezembro 2022

Crítica | Halloween Ends

Publicidade

Michael Myers é um dos vilões mais icônicos do cinema. Ele foi considerado o “bicho-papão” mais memorável do cinema para seu público em amadurecimento. Tudo começou com o filme Halloween de John Carpenter em 1978. O filme foi feito com um orçamento baixo. O roteiro do filme foi escrito por Carpenter e Debra Hill. A máscara de Myers é considerada inesquecível. O filme foi rodado em uma casa em South Pasadena, Los Angeles, Califórnia teve um orçamento de US$ 300.000. Tornando-se um sucesso de bilheteria na qual arrecadou US$ 60 milhões em todo o mundo. John Carpenter provou a outros cineastas de terror como eles podem criar algo considerado inovador com um orçamento baixo.

O diretor David Gordon Green, que é bem conhecido por fazer filmes pessoais aclamados pela crítica como sua estreia George Washington (2000), bem como seu sucesso cômico, Segurando as Pontas (2008), assumiu a responsabilidade de continuar com o filme de Michael Myers junto com seu colaborador de longa data Danny McBride. Em 2018, eles lançaram Halloween, uma sequência direta do filme de Carpenter de 1978. David Gordon Green e Danny McBride decidiram ignorar todas as sequências já feitas desde os anos 1980 até os filmes de 2000. Sua última parte do filme ocorreu 40 anos após os eventos do filme original. Três anos depois, David Gordon Green lançou sua sequência Halloween Kills (2021). Este ano, ele fez outra parte que seria a última atuação de Jamie Lee Curtis como Laurie Strode, a heroína e sobrevivente.

Jamie Lee Curtis estava tão empolgada com seu envolvimento no filme que decidiu dizer a todos os fãs de Halloween nas mídias sociais para não estragar o novo filme de forma alguma. Ela sente fortemente que sua última atuação como Laurie Strode será memorável. Como um lembrete para todos os fãs, Laurie Strode estava protegendo sua filha (interpretada por Judy Greer) e neta (Andi Matichak) de Myers. No final da sequência do ano passado, Halloween Kills, Michael conseguiu matar a filha de Laurie. Isso definitivamente levanta a grande questão de saber se Laurie se vingará matando o icônico vilão do filme ou morrerá tentando.

Publicidade

“O mal morre esta noite”, promete o slogan de Halloween Ends, provocando o fim do conflito sangrento entre Laurie e o assassino aparentemente imparável Michael Myers que está em andamento desde o original de 1978.

O filme se passa quatro anos após os eventos do Halloween Kills, Laurie está morando com sua neta Allyson e está terminando de escrever suas memórias. Michael Myers não foi visto desde então. Depois de permitir que a sombra de Michael pairasse ao longo de sua existência por décadas, ela finalmente decidiu se libertar do medo e da raiva e se voltar para a vida. Mas quando um jovem, Corey Cunningham (Rohan Campbell), é acusado de matar um menino que ele estava cuidando, isso desencadeia uma cascata de violência e terror que forçará Laurie a finalmente enfrentar o mal que ela não pode controlar, de uma vez por todas.  

O filme tem a premissa de  mostrar o que acontece quando você foge do medo. Todo o conceito é que se você está fugindo do medo, você está morto por dentro. Você não pode estar vivo porque esse sentimento te mata por dentro. Essa é a chance de o espectador assistir a Laurie lidando com Myers e acabar com ele para que o mal nunca mais volte para a cidade e ela possa, enfim, ter uma vida normal e sem medo, promovendo sua paz interna como o da sua cidade.  

Ao contrário de Halloween Kills, que se seguiu a um Halloween apertado e emocionante, mas acabou em uma bagunça narrativa, Halloween Ends acerta em algumas coisas, principalmente um enredo e motivo mais pontual. No último filme da trilogia, é possível enxergar um motivo direto e razões para os assassinatos cometidos. Com as vítimas alheias ao retorno de Michael e seu aprendiz, há uma sensação de caça e desconhecimento que torna essas mortes ainda mais assustadoras e emocionantes para os fãs de terror.

As mortes também são mais horríveis do que antes. Para os fãs de sangue, o novo filme da franquia entrega assassinatos que não são apenas sangrentos, mas também doentios e distorcidos à sua maneira. 

Falando em Jamie Lee Curtis, Laurie sempre foi uma lutadora e isso é admirável. O confronto entre ela e o Michael é especialmente tenso, apesar de Laurie enfrentar Michael muitas vezes nas últimas décadas. Há um senso de finalidade nisso e ver como Laurie, que passou o Halloween Kills numa cama de hospital, luta contra o assassino foi incrivelmente satisfatório.

Publicidade

A conclusão de Halloween Ends é que o mal realmente nunca acaba. Ele ainda vai existir em diferentes corpos, ocupando diferentes esgotos e túneis subterrâneos, atacando cidadãos inocentes de uma cidade pequena e tranquila, não importa se Michael Myers se foi ou não. Esta mensagem é clara. Qualquer um pode ser o monstro de máscara branca. 

De acordo com John Carpenter, haverá outros filmes de Halloween no futuro devido à base de fãs da franquia ao longo dos anos e é licenciado através de filmes da Blumhouse. Independentemente de novas franquias serem feitas com a bênção de John Carpenter ou não, Michael Myers não será esquecido pelos fãs de Halloween em todos os lugares. Sua imortalidade e diligência assustadora sempre surpreenderá os espectadores nas próximas décadas.

Nick Castle, Will Patton e Kyle Richards vão reprisar seus papéis do filme original. Ainda completam o elenco Andi Matichak, Michael O’Leary e Omar Dorsey, com David Gordon Green dirigindo e assinando o roteiro e John Carpenter na parte da produção. 

Publicidade

Destaque

Paddington | Curta para comemorar Jubileu da rainha é lançado no Youtube; Assista!

Paddington e a Elizabeth II se uniram em um curta-metragem....

The Last Of Us | Confira os novos pôsteres da série!

A HBO liberou hoje (30) pôsteres inéditos de The Last Of Us,...