Crítica | Halloween

Doces ou travessuras? ?? hahaha. Se você é daqueles que gosta de passar o Halloween em casa, assistindo filmes de terror e comendo doces, já pode adicionar esse filme à sua lista de favoritos para essa época do ano. 😛

Halloween (2018) é uma continuação do clássico de terror que leva o mesmo nome. Este ano, com cenas impactantes e uma ótima direção de imagem, Halloween promete conquistar todos os tipos de público (até mesmo os medrosos haha).


O filme conta a história de dois personagens principais, que estão interligados por um crime cometido do passado. De um lado, Michael Myers, um homem que possui distúrbios psicológicos (ao menos é o que alguns psiquiatras acreditam :P) e do outro lado, Laurie Strode, uma mulher que possui traumas e cicatrizes devido à um passado bastante confuso e complexo. Devido aos acontecimentos do passado, Laurie cria laços complicados e até mesmo frágeis com a sua família. Fora isso, há personagens coadjuvantes que acompanham e/ou fazem parte indiretamente de toda essa história, o que traz uma maior interatividade e um tom de mistério ao filme.

Muitas cenas possuem aquele “clichê” dos filmes de terror, mas com uma sutileza e originalidade quase imperceptíveis, o que faz com que a direção tenha destaque no contexto geral de qualidade da obra.

Com uma trilha sonora já conhecida por todos, a típica música de “Halloween Theme” aparece novamente para nos trazer nostalgia e, claro, fazer parte do suspense característico do Halloween.

Halloween retorna com a mesma intensidade dos filmes anteriores, trazendo além de nostalgia a originalidade de uma franquia de sucesso que atravessou gerações.

O filme estreia dia 25 de outubro nos cinemas.

Luíza Rochahttp://estacaonerd.com
Escritora. Trilíngue. Amante da sétima arte e às vezes escrevo poemas.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Crítica | La Casa de Papel – Parte 3

“Una mattina, mi son' svegliato..." Nessa nova temporada, a “Bella Ciao” vem com outro significado: Por la familia! O...

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...