Início Críticas Crítica | La Casa de Papel (5ª temporada)

    Crítica | La Casa de Papel (5ª temporada)

    2
    8796
    Netflix/ Divulgação

    Chegou ao fim La Casa de Papel! Se prepare para rir, chorar, ficar chocado, revoltado e emocionado. A última temporada da série espanhola foi dividida em duas e a última parte estreou na Netflix nesta sexta-feira (03). A quinta temporada se passa após mais de 100 horas desde que o assalto no Banco de Espanha começou e apresenta diversas reviravoltas que vão fazer a alegria dos fãs.

    LA CASA DE PAPEL (L to R) MIGUEL HERRÁN as RÍO in episode 05 of LA CASA DE PAPEL. Cr. TAMARA ARRANZ/NETFLIX © 2020

    Acreditem, a espera valeu a pena. A quinta temporada é um verdadeiro filme de ação de mais de dez horas de duração. Com uma trama repleta de reviravoltas, a produção nesta temporada aposta todas as suas fichas no aprofundamento dos seus personagens e nas motivações desses “heróis”. Além de criar novas relações entre eles e aprofundar as já existentes. A obra criada por Álex Pina, sabe que tem personagens apaixonantes e constrói diversos eventos para mostrar os princípios e a bússola moral, que guia cada um deles. Esse é o maior triunfo da produção nesse final.

    Para dar mais tensão aos episódios, Pina cria uma verdadeira guerra psicológica entre os “mocinhos” e as autoridades. O roteiro desenvolve, nas reviravoltas que acontecem a todo momento, situações que vão chocar e deixar o público na ponta da cadeira com os acontecimentos vistos. O que funciona muito bem, nas maioria das vezes. Algumas situações são forçadas demais, mas nenhuma delas tira o brilho dos planos mega elaborados pelo Professor e sua equipe.


    Prepare os lencinhos, pois também temos espaço para momentos de partir o coração. Em especial nos episódios cinco, seis e nos dois últimos. A série consegue encerrar bem os arcos de seus personagens principais e o final é pura emoção. O que não é tão bom é o insistente retorno ao personagem de Berlim. Seu personagem está entranhado em cada decisão da equipe e a sua participação dá a ideia de estarmos vendo outra série dentro da quinta temporada de La Casa de Papel. A única explicação para termos tanto espaço para Berlim é que o personagem, em 2022, irá ganhar sua série spin-off, que será focada no seu passado .

    20190812_641_LCDP_S4_tamaraarranz_DSC_4234.nef

    As cenas de ação fluem de modo crível e são de tirar o fôlego. A cena de invasão, que se encerra com a morte de um personagem, e a cena que dá fim ao roubo, estão entre as melhores de todas as temporadas. Os três últimos episódios são alucinantes neste quesito, sem exagero. As atuações são excepcionais e todo elenco merece destaque. Os atores são quem sustentaram e fizeram a série ser o fenômeno que é hoje.

    A quinta temporada de La Casa de Papel é uma montanha-russa de emoções e concluí de modo satisfatório essa saga de roubos que se espalhou pelo mundo e conquistou corações. Que venha o remake coreano da produção e que ela, do seu modo, faça tanto sucesso como a original.

    Publicidade

    2 COMENTÁRIOS

    1. Final para agradar gente que se contenta com qualquer coisa! Desculpem, mas o final foi um absurdo. Quando que o Estado permitiria ser roubado e ainda premiar os ladrões? Simplesmente deixaram eles saírem com o ouro, ainda deram passaporte com vida nova pra cada um, que bizarro! E pra piorar uma carona de helicóptero no final, huahhahehahwa. Claramente final feito às pressas, fanservice total, não faz sentido esse final ter acontecido! Aliás, a própria invasão final contrariou tudo, ficaram perdidinhos no roteiro. Uma Bel bosta, dou nota 5/10.

    2. Ficou uma ponta solta:O filho de Nairobi. Ele teria q ser resgatado pelo grupo. Eu ainda aguardava o reencontro de Rio e Alisson Parker. Principalmente após a morte da Tokio.Não pretendo assistir a versão coreana,jamais será a mesma coisa da versão espanhola e decididadamente não será melhor.

    Deixe um comentário