Crítica | Laços (The Ties)

Veja nossos últimos stories

Laços, novo lançamento da Synapse Distribution nas plataformas digitais, é uma obra que abriu o 77º Festival Internacional de Cinema de Veneza e foi exibido na última edição do Festival de Chicago (CIFF). O longa é baseado no livro homônimo de Domenico Starnone, que se passa nas cidades de Nápoles e Roma, na Itália, e retrata o casamento de Aldo e Vanda. Ao voltarem de uma viagem, o casal encontra o seu apartamento revirado. Antigas lembranças de traição, abandono e os vínculos de um relacionamento que perdura há mais de 30 anos retornam, e ambos percebem que algumas feridas nunca cicatrizam. Em paralelo, os filhos do casal vivem as consequências dessa história de amor conturbada.

Synapse Distribution/ Divulgação

Laços é um verdadeiro novelo de lã, cada volta desse fio no novelo trata sobre uma questão: amor, relacionamento em ruínas, lealdade, ressentimento, traição… E essas questões se entrelaçam, assim como a narrativa não linear dessa obra italiana dirigida pelo diretor Daniele Luchetti (A Nossa Vida). O diretor aqui abusa das metáforas para contar uma história sobre as relações, não apenas amorosas, mas também de pais e filhos. Além disso, Luchetti usa a câmera sempre muito perto do seu elenco, afim de extrair o máximo de cada reação em cada cena, o que funciona às vezes. O roteiro de Domenico Starnone é singelo e muito intenso, assim como o amor. Mas a obra possui alguns furos no seu roteiro, como o desparecimento de personagens que até o momento são importantes na narrativa, o que pode incomodar.

A montagem que mistura passado e futuro, faz isso sem muita cerimônia e pode soar confusa para os mais desatentos. A proposta de narrativa não linear combina bem com a obra e com a sua mensagem. A fotografia é outro ponto de destaque dessa análise brutal sobre o casamento. O roteiro ainda constrói uma reviravolta no seu terceiro ato, que nunca se concretiza, o que vemos é apenas um conjunto de análises sobre ressentimento e culpa.

O elenco tem performances boas, mas elas não são nada marcantes (são até que discretas, na verdade). Elas cumprem o pedido pela direção. O desperdício fica para os atores que interpretam os filhos (na versão adulta) do casal, que poderiam ter tido mais espaço na trama, mas são inseridos tardiamente.

Set di “Lacci”, regia di Daniele Luchetti. Nella foto Luigi Lo Cascio, Giulia De Luca e Joshua Cerciello. Foto di Gianni Fiorito Questa fotografia è solo per uso editoriale, il diritto d’autore è della società cinematografica e del fotografo assegnato dalla società di produzione del film e può essere riprodotto solo da pubblicazioni in concomitanza con la promozione del film. E’ obbligatoria la menzione dell’autore- fotografo: Gianni Fiorito.

Laços é uma obra que serve como uma análise sobre o início do fim de uma relação que se desgasta com o tempo pelas coisas não ditas e decepções do dia a dia. Pena que análise aposte em uma narrativa que mais confunde do que esclarece. Mas o que é o amor? Se não um grande laço invisível que nós envolve e às vezes se rompe com o tempo.

Laços estará disponível nas plataformas Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes / Apple TV, Google Play e YouTube Filmes.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Confira a crítica de Dias Melhores Confira a crítica de Kingdom: Ashin of the North Confira a crítica de Mestres do Universo O que assistir antes de Monstros no Trabalho Viúva Negra e as novas heroínas da Marvel Confira a crítica de Jolt