Crítica | Loucos por Justiça (Riders of Justice)

Veja nossos últimos stories

O cinema nórdico é conhecido por apresentar tramas densas e que possuem uma frieza descomunal nas suas tramas, para aumentar a galeria de obras (mas fugindo desse padrão), estreia nessa sexta-feira (06) nas plataformas digitais o longa Loucos por Justiça (Riders of Justice). Na trama vemos o militar Markus voltando para casa para cuidar de sua filha adolescente, depois que sua esposa morre em um trágico acidente de trem. A relação entre pai e filha se torna ainda mais forte já que agora compartilham uma perda em comum. No entanto, quando Markus conhece um dos sobreviventes do acidente, ele começa a desconfiar que a morte de sua esposa não foi uma mera casualidade do destino.

Retfærdighedens Ryttere Directed by Anders Thomas Jensen Produced by Sisse Graum Jørgensen and Sidsel Hybschmann Zentropa Production2 Photo Credit:ROLF KONOW is a must

A primeira vista, Loucos por Justiça parece ser mais uma trama de vingança, mas acredite essa obra nórdica é muito mais do que isso. A cena inicial mostra, sutilmente, que tudo feito aqui levará a outra situação que trará consequências. A frase proferida nos minutos iniciais “Todos os eventos são produtos de uma série de eventos anteriores” é um dica inteligente que o roteiro escrito pelo diretor Anders Thomas Jensen (Men & Chicken) dá ao espectador. As peças são apresentadas gradativamente, até que chegamos na questão central que dará norte a trama: o que aconteceu foi um crime premeditado ou apenas uma grande coincidência? As repostas são apresentadas, e de modo irrefutável, o caminho é escolhido. A partir daí, o roteiro investe na construção da relação (pra lá de conturbada e engraçada) entre o trio coadjuvante e o protagonista. Ela é cheia de nuances, provocações, humor e dor. Sim, dor. A obra, como dito anteriormente, não é um simples filme de matança onde o protagonista irá empilhar corpos e mais corpos, a situação é mais complexa do que isso, pois a história foca nas relações que se desenvolvem (ou que se desfazem) por causa do acidente, e esse desenvolvimento é o forte e principal ponto central da trama dirigida por Jensen.

Além de construir a trama focada nessa interação, Jensen usa do humor para ganhar a simpatia do espectador. O trio coadjuvante é pra lá de excêntrico e possui bastante carisma. Otto (Nikolaj Lie Kaas), Lennart (Lars Brygmann) e Emmenthaler (Nicolas Bro) divertem com suas encrencas mesquinhas e com suas manias, mas também servem de contraste para a persona construída por Mads Mikkelsen (A Caça). seu personagem é o mais quieto e reativo do grupo, ele guarda sua dor e remorso para si e constrói um personagem repleto de angústias. Essa interação entre pessoas tão distintas é incrível e funciona bem. As cenas de ação são bem filmadas e fluem de modo orgânico. O único defeito da trama é o ritmo, que é cadenciado demais, com 20 minutos a menos a trama seria mais enxuta, porém nada disso deve atrapalhar a imersão na história.

Riders of Justice/ Retfærdighedens Ryttere Directed by Anders Thomas Jensen Produced by Sisse Graum Jørgensen and Sidsel Hybschmann Zentropa Production2 Photo Credit:ROLF KONOW is a must

Loucos por Justiça constrói uma trama rica em humor, drama e violência para mostra uma reflexão singela sobre destino, coincidências e traumas que acontecem nas nossas vidas. Além de ter mais uma atuação excepcional de Mads Mikkelsen.

O longa estará disponível para compra e aluguel na Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes/Apple Tv, Google Play e YouTube Filmes.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Maligno – Confira a crítica do filme Crítica – O Mauritano What If…? – Confira os easter eggs do sexto episódio! Crítica – The Voyeurs Confira 10 séries imperdíveis no Star+ Crítica – Sex Education: 3ª Temporada