sex, 7 outubro 2022

Crítica | Malévola 2: Dona do Mal

Publicidade

Malévola 2: A Dona do Mal, conta a história de Aurora agora adulta, segue tentando reinar o mundo dos Moors. Ao ser pedida em casamento pelo príncipe Philip (Harris Dickinson), ela é imediatamente acolhida pela sogra, a Rainha Ingrith (Michelle Pfeiffer). Acontece que a atitude deixa Malévola (Angelina Jolie) um tanto revoltada, mas ela, no entanto, engole momentaneamente sua insatisfação para acompanhar a garota a um jantar na casa dos pais do rapaz, o rei John (Robert Lindsay) e da rainha Ingrith. A madrinha de Aurora logo é apontada como vilã da história novamente, o que faz com que ela busque outros aliados para defender seu reino.

Malévola foi sem sombra de dúvidas o início de uma era entre os live actions da Disney com sua subversão da história da Bela Adormecida. Tirando o foco principal da princesa amaldiçoada, trazendo uma nova perspectiva sobre uma das vilãs mais conhecidas do cinema, transformando-a em uma personagem complexa com um passado trágico.
O que fez a produção funcionar no primeiro filme, passa longe de sua sequência Malévola – Dona do Mal, que acaba pendendo para um roteiro generico e pouco inspirado.

Angelina Jolie parece ter perdido o brilho no olhar e não consegue uma performance para conquistar a plateia. Com todo trabalho de maquiagem que ja conhecemos, em certos momentos fica com aspectos de cara de boneca. Entre feliz, fragilizada ou agressiva, carrega Malévola com a mesma expressão vazia. E nisso tem a companhia de Elle Fanning, que interpreta uma Aurora sem um pingo de convencimento. Já Michelle Pfeiffer, ganha momentos de atenção, facilmente com algumas expressões faciais de vilania. Sam Riley foi o destaque do filme, tentando salvar as cenas mais tediosas com sua atuação e humor do personagem.

Publicidade

Quem gostou do primeiro filme vai assistir e sair satisfeito. Quem espera ver algo a mais pode sair decepcionado. O longa é uma sequência ótima no ritmo, nas sacadas visuais. É muito mais colorida, agitada e mais violenta na batalha entre as criaturas. Porém deixa a desejar na evolução dos personagens e nas atuações que estão abaixo da vista no primeiro longa. Malévola 2: Dona do Mal já está em exibição nos cinemas de todo o Brasil.

Publicidade

Newsletter

Destaque

Paddington | Curta para comemorar Jubileu da rainha é lançado no Youtube; Assista!

Paddington e a Elizabeth II se uniram em um curta-metragem....

Crítica | Vai Dar Nada

Estreia nesta quarta no streaming do Paramount+, Vai Dar...

Adão Negro | Ator revela bastidores dos efeitos visuais do filme; Confira!

Dwayne Johnson revelou no Instagram algumas fotos dos bastidores da...

Série Original Amazon Eleita estreia amanhã no Prime Video

O Prime Video lança amanhã, dia 7 de outubro,...

5 COMENTÁRIOS

  1. […] cena com ela são ofuscados pela presença da atriz que está espetacular no papel. Sam Riley (Malévola) tem uma atuação correta e Anya Taylor-Joy (Vidro) é brilhante em suas cenas. Mas […]

  2. Que loucura de inveja incontrolável o ser humano possui!!! O filme foi fantástico!!! Maravilhoso!!! Fala sério!!! Povo não tem mais o que fazer!

  3. Que loucura de inveja incontrolável o ser humano possui!!!! O filme é fantástico!!! Maravilhoso!!! Fala sério!!!

  4. Eu particularmente não achei o segundo filme ruim, ele foi melhor que o primeiro! As cenas da malévola MDS foram perfeitas, não sei o pq de tanta crítica.

  5. Concordo, porém eu acho que Angelina atuou muito bem, mas como vc disse, com minhas palavras eu confirmo que o filme possuiu muito excesso de drama e conflito em vez de mais complexidade dos personagens de uma forma mais carismática dos personagens ( exeto malévola)

Deixe um comentário