Crítica | Megatubarão

Se pudesse fazer um resumo do filme ele seria: “Jason Statham luta contra tubarão pré histórico”. Se essa história (absurda) não fez você ficar interessado, saiba que por mais bizarro que o enredo seja ele é bom. Quem disse que o bizarro não pode ser bom?

Megatubarão é baseado no livro MEG, de Steve Alten (sim acredite, essa é uma história adaptada). A trama, se baseia sobre a maior espécie de tubarão que já existiu nesse planeta: o Megalodon! O enredo marítimo que coloca esse monstro pré histórico em rota de colisão com Statham (Os Mercenários) é o seguinte: após um desastre ocorrido durante uma operação no fundo do mar, o especialista em resgates Jonas (personagem de Statham) relata que o submarino foi atacado por um tubarão gigante, o pobre-coitado (Statham, não o tubarão) cai em descrédito. Porém, ele precisa enfrentar o passado mais uma vez, antes onde que algo ainda mais catastrófico aconteça!


Clichê, não? Sim, com certeza, mas ainda assim, divertidíssimo! Sabe aqueles filmes de monstros que a gente assiste, dá umas risadas, leva alguns sustos e esquece meia-hora depois que acabou? Megatubarão é tudo isso. Os personagens são clichês, as cenas de ação são exageradas ao máximo, mas tudo isso é em prol do divertimento.

Jon Turteltaub (A Lenda do Tesouro Perdido) deve ter feito um curso com Spielberg, pois nos entrega belas cenas de ação (exageradas em alguns momentos), bons sustos e bastante tensão em algumas cenas. Além de algumas risadas (algumas não intencionais). O roteiro escrito a três mãos, mesmo mudando um pouco a história original do livro consegue dar credibilidade a aquilo que vemos em tela. Um bom trabalho de Dean Georgaris (O Pagamento), Jon Hoeber (Battleship) e Erich Hoeber (Red – Aposentados e Perigosos), que só não é perfeito pois esqueceram de dar profundidade aos personagens, em especial os secundários.

O elenco é aquele velho clichê de filmes desse tipo. Temos o casal de mocinhos Statham e a bela Li Bingbing (O Reino Proibido), o cara rico ganancioso Rainn Wilson (The Office), o alívio cômico (Page Kennedy), a nerd/hacker Ruby Rose (a nova Batgirl) e outros bons atores desperdiçados no longa. Em resumo todo o elenco é sub-aproveitado em prol de Statham que tem que ser o herói do dia. Uma pena, pois o elenco é muito bom e poderia render mais.

O Mega Tubarão do título do filme realmente é mega. Muito bem feito, realmente causando espanto e temor quando aparece, as cenas em IMAX foram bem desenvolvidas (destaque para as que ocorrem embaixo d’água), o 3D dá o ar da graça nos momentos finais, mas em duas ou três cenas, pouca coisa.

Em resumo, Megatubarão é entretenimento puro. Mesmo com vários clichês e algumas falhas (tipo a tatuagem de uma personagem que saí após ela cair na água), o filme diverte. Quem ama histórias de animais gigantes homicidas vai amar esse longa.

 

 

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Sim, reclamar funciona! A internet salvou o filme do Sonic!

Já faz algum tempo em que foi divulgado o então trailer oficial do filme do Sonic, o mascote da SEGA, que conquistou...