Crítica | Minha Mãe é uma Peça 3

Veja nossos últimos stories

Depois do sucesso como apresentadora de TV, Dona Hermínia está de volta, agora com o título de vovó, graças à gravidez de Marcelina. Chega aos cinemas no dia 26 de Dezembro Minha Mãe é Uma Peça 3. A terceira e possível última aventura de Dona Hermínia nas telonas é divertida e bem atual em sua trama, apesar de alguns tropeços.

A nova trama inicia mostrando que os filhos “abandonaram” as asas super protetoras de Dona Hermínia, que agora vaga entre feiras e mercados sem um propósito (já que ela sempre viveu para cuidar dos filhos). Essa abordagem inicial no roteiro é bastante positiva pois mostra uma nova faceta ainda não vista, como fica a vida se você já cumpriu o seu propósito? Essa proposta talvez também indique que a aposentadoria da personagem está próxima nas telonas ou apenas seja uma coincidência narrativa, vai saber né? O que sabemos com certeza é que o anuncio do casamento de seu filho Juliano e a chegada de uma netinha, dão novo ânimo para a mãe mais querida do cinema nacional voltar a aprontar das suas, mesmo que algumas situações sejam piadas que já vimos nos longas anteriores. Mãe tem dessas coisas de reciclagem e nesse filme temos bastante disso. Porém temos ótimas tiradas cômicas originais. As piadas sobre a terceira idade são hilárias!

Por mais que o elenco cumpra bem o seu papel. Herson Capri, Rodrigo Pandolfo, Lucas Cordeiro e Mariana Xavier são esmagados pelo talento de Paulo Gustavo, as melhores piadas do filme são dele e quando ele não rouba as cenas com uma boa piada, ele arranca no grito mesmo. O roteiro criado pelo trio Fil Braz (Tô Ryca), Paulo Gustavo e Susana Garcia (Minha Vida em Marte) caí em alguns clichês típicos das comédias nacionais, mas retrata a união estável dos personagens de Pandolfo e Cordeiro com carinho e respeito. O final do terceiro ato possui algumas falhas e todos os problemas criados desaparecem milagrosamente. Isso não irá atrapalhar sua experiência, mas resoluções melhores poderiam ser propostas para encerrar a trama.

Minha Mãe é uma Peça 3 é divertidíssimo, mesmo com algumas falhas no roteiro o longa empolga e deve repetir o sucesso nas bilheterias dos capítulos anteriores. Parte desse sucesso se deve ao talento de Paulo Gustavo e a identificações que as mães de todo Brasil possuem com essa triologia, afinal de contas mãe é tudo igual. Menos a minha. Deem esse presente a sua mãe e leve ela para conferir esse longa.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Confira a crítica de Amor e Monstros Especial 10k no Youtube 3 estreias da Netflix para ver nesse final de semana Confira a crítica de Radioactive As 3 séries mais vistas na Netflix Confira o trailer de Army of The Dead