dom, 22 maio 2022

Crítica | Moonfall: Ameaça Lunar

Publicidade

Moonfall: Ameaça Lunar é o mais novo filme catástrofe de Roland Emmerich (Independance Day, 2012 e O Dia Depois de Amanhã), a produção mostra a luta da humanidade para salvar seu lar após a Lua alterar sua rota e entrar em colisão com a Terra. O filme promete ter uma mistura de ficção científica com cenas de destruição a nível global, mas acaba sendo apenas catastrófico na sua execução.

Diamond Films/ Divulgação

O filme se inicia no ano de 2011, onde Brian Harper (Patrick Wilson) e Jo Fowler (Halle Berry) estão em uma missão comum de manutenção pela NASA, onde um grave incidente acontece. Esses primeiros minutos servem para fundamentar a premissa do filme e mostra que está ficção científica tem um certo toque de realismo. Porém, a partir da introdução do personagem KC Houseman (Jonh Bradley-West) como o “gênio” do filme ao mesmo tempo que ele é um credor fervoroso da teoria da conspiração que a Lua é uma megaestrutura criada por alienígenas, toda a trama caí por terra. O personagem é um clichê ambulante que com toda certeza participaria de um episódio da série Alienígenas do Passado do canal History. A única diferença é que ele está certo no filme. O modo como ele consegue soluções para os problemas da trama é algo de dar vergonha de tão fácil. Diversos institutos científicos renomados são apresentados na trama e APENAS ele conseguiu notar essa alteração?!. Colocar na história como “herói” um personagem que acreditar em uma teoria da conspiração, em tempos em que a ciência é atacada por conspirações e pseudo ciência o tempo todo, é uma falta de noção absurda. É ridículo ver que o roteiro quer ser levado a sério, mas usa de elementos como: os astronautas pousaram na Lua e escutaram um barulho metálico – para quem não sabe o som não se propaga no vácuo, logo barulho nenhum é para ser ouvido – se o filme que ser uma ficção que se leva a sério, erros primários como esse e outros não podem ser cometidos.

Os atores se esforçam bastante para passar o tom pesado e sombrio de um apocalipse, mas não conseguem pois trabalharam com um roteiro cheio de diálogos que em todos os momentos prefere apenas inserir frases de efeito que são extremamente piegas. O desenvolvimento dos personagens e a resolução dos conflitos acontecem de modo superficial e não acrescentam em nada a trama. Para piorar, elementos científicos são usados das formas mais absurdas possíveis e temos até um momento DEUS EX MACHINA inserido de modo aleatório. Os momentos dramáticos não possuem impacto nenhum no filme. A produção aqui se torna basicamente uma propaganda da NASA, pois vemos detalhes sobre como a agência funciona e os mais diversos protocolos, que foram convenientemente esquecidos para a trama funcionar. Outro problema gravíssimo da história é o plot twist do filme que não faz o mínimo sentido e parece uma colcha de retalhos, muito malfeita, de elementos de outros filmes do gênero.

Publicidade

Moonfall: Ameaça Lunar é uma verdadeira ofensa para a ficção científica! O filme se leva a sério o tempo todo e com sua narrativa explora a ciência de forma básica e burra, porém o pior é o desserviço e desrespeito ao conhecimento cientifico que esse filme apresenta, em um período tão conturbado da história. Muitos filmes foram inspiração para grandes cientistas seguirem no ramo e até invenções foram inspiradas em obras clássicas do cinema. A única coisa que Moonfall conseguira é ser usado num futuro como um argumento de conspiração em um fórum qualquer da internet.

Essa crítica foi escrita por Larissa Costa. Siga ela nas suas redes sociais: Twitter / Instagram

Publicidade

Newsletter

Destaque

Deixe um comentário