sáb, 20 julho 2024

Crítica | O Estrangulador de Boston

Publicidade

O Estrangulador de Boston (Boston Strangler) é um thriller de crime real sobre as repórteres pioneiras que divulgaram o caso dos famosos assassinatos do Estrangulador de Boston: Loretta McLaughlin (Keira Knightley), repórter do jornal Record American, e sua colega e confidente Jean Cole (Carrie Coon). À medida que o assassino faz mais vítimas, a dupla continua corajosamente a investigação, colocando suas próprias vidas em jogo em sua busca para revelar a verdade. 

Reconstituir fatos históricos e adaptá-los à sétima arte requer total esmero. É preciso contar, com precisão, o que aconteceu, mas não deixar o dinamismo das explicações técnicas entediar o grande público, nem mesmo resumir toda uma história de maneira rasa e desprovida de detalhes e até do valor emotivo, a fim de entregar algo às pressas. O Estrangulador de Boston, filme que estreou recentemente na plataforma Star+, está num meio termo entre o básico e o detalhado. Não é produnte afirmar que o longa se trata de um remake de “O Homem que Odiava as Mulheres” (The Boston Strangler), de 1968, dirigido por Richard Fleischer e estrelado por Tony Curtis e Henry Fonda, apesar do mesmo título original, pois, enquanto o clássico foca na investigação policial quanto aos assassinatos, até de maneira mais dramática, a produção atual de Matt Ruskin foca em mostrar a ação das duas jornalistas pioneiras em noticiar os crimes.

O storytelling de O Estrangulador de Boston tenta fazer a trama se encontrar, inicialmente, em um instigante suspense investigativo, surfando entre dramas pessoais enfrentados especialmente pela protagonista Loretta – infelizmente, e até erroneamente, a história não aprofunda nas questões da co-protagonista Jean -. Porém, ao longo da projeção, fica esclarecido que o principal objetivo do longa é retratar a dificuldade do reconhecimento do trabalho da imprensa, ainda mais para duas jornalistas mulheres em meio a uma época sexista e extremamente machista, o que deveria ter sido realizado de forma minuciosa, com boas alusões a um fato que, infelizmente, se repete na atualidade. Mas, por conta de uma produção que deseja extrair mais de sua narrativa e fazê-lo às pressas, o filme acaba entregando frases de efeito genéricas e soluções rápidas para os problemas, de fato desafiadores, que são apresentados.  

Publicidade

O roteiro lento, assim como a condução necessitada de um bom ritmo, de Matt Ruskin, acabam por casar bem, mas sem dar a O Estrangulador de Boston uma grandeza necessária, já que o longa ostenta de temas poderosos para serem debatidos. O empoderamento feminino, a luta por justiça perante uma sociedade machista e o poder da mídia são temáticas importantes que precisam ser tratados com mais atenção, mas sem romper os limites da mesmice. Por outro lado, o diretor não erra ao estabelecer um suspense que consigue deixar o público aflito, só faltou inserir mais elementos além de sombras e uma trilha sonora aterrorizante para poder instigar com mais intensidade.

Se tem algo que O Estrangulador de Boston ostenta, de fato, é em seu elenco de repleto de nomes de peso. Keira Knightley esboça toda a coragem necessária para a composição de sua personagem, oscilando entre bravura, indignação e responsabilidade com maestria, assim como Carrie Coon, que, apesar de menos tempo em tela, passa toda a imponência de uma reporte jornalística que exigia ser ouvida. Na pele de Albert DeSalvo, um dos principais suspeitos da série de assassinatos, o ator David Dastmalchian brilha, entregando uma atuação amedrontadora. Completam o elenco Chris Cooper e Alessandro Nivola, em papéis pequenos, porém importantes para a trama.

Imagem: IMDb

Esteticamente, o longa capta bem o estilo dos anos de 1960 em seus veículos, roupas, móveis e até cenários, com incríveis tomadas externas mostrando a cidade de Boston daquela época. Por outro lado, um recurso visual que deixa desejar é a direção de fotografia, que optou por utilizar um filtro de tonalidade frias que escurecem o filme por demais, a ponto de se tornar indecifrável o que está se passando em tela.

Apressando em entregar um bom resultado, a ponto de não desenvolver por completo suas temáticas, O Estrangulador de Boston pode convencer parte do público com seus diálogos que procuram dar ênfase as discussões apresentadas, mas que se perdem por não haver um real aprofundamento.

Publicidade

Publicidade

Destaque

Crítica | The Acolyte

      Star Wars possui um legado imenso e seria redundante...

Divertida Mente 2 | Disney confirma sequência da animação!

Divertida Mente é sem dúvidas um dos maiores sucessos...

Crítica | Aprendiz de Espiã: Na Cidade Eterna

A sinopse de Aprendiz de Espiã: Na Cidade Eterna...
O Estrangulador de Boston (Boston Strangler) é um thriller de crime real sobre as repórteres pioneiras que divulgaram o caso dos famosos assassinatos do Estrangulador de Boston: Loretta McLaughlin (Keira Knightley), repórter do jornal Record American, e sua colega e confidente Jean Cole (Carrie...Crítica | O Estrangulador de Boston