Crítica | O Grinch

Nos anos 2000 Ron Howard (Han Solo: Uma História Star Wars) fez uma adaptação do famoso livro infantil: Como o Grinch Roubou o Natal, de Dr. Seuss e dividiu bastante a opinião dos críticos da época. Dezoito anos mais tarde a Illumination, estúdio responsável pela franquia Meu Malvado Favorito, resolveu adaptar essa história em formato de animação para contar a aventura do ser verde e mais rabugento da literatura mundial.

A trama conta a história de Grinch, um ser solitário e ranzinza que vive em uma montanha isolada, só saindo de sua morada até a cidade vizinha de Quemlândia quando precisa de  mantimentos. Ao descobrir que os cidadãos desejam realizar uma festa de natal três vezes maior que o normal, o monstrinho decide acabar com a alegria descabida deles roubando o Natal.


Assim como o filme de 2000, a animação não se satisfaz com a explicação do autor para o ódio ao Natal sentido pelo protagonista. Usando alguns flashbacks temos um vislumbre da infância de Grinch e nos damos conta do seu passado marcado pela seu abandono no orfanato e sua solidão nas ocasiões festivas, entendendo o por que dele ser o que é.

A Ilumination está de parabéns pelo trabalho feito e merece todos os méritos possíveis por sua excelente construção da cidade de Quemlândia e dos personagens (sejam eles os principais ou secundários). As cores da cidade são vibrantes. As texturas da neve e dos pelinhos no rosto de cada criança Quem são muito bem construídos e dão um realismo monstruoso. O problema do filme é a sua narrativa que atrapalha um pouco a diversão.

Por ser baseado em um livro com menos de 40 páginas é evidente que diversas passagens precisaram ser acrescentadas no roteiro para compor o tempo do longa. O problema é que o longa fez a narrativa em rimas, o que é um pouco cansativo de acompanhar. A dublagem brasileira do personagem principal é fraca (não achei que a voz de Lázaro Ramos combinou com o personagem), Lázaro Ramos (Ó Paí, Ó) dublando Grinch se saí melhor, apenas que Luciano Huck na dublagem de Enrolados.

A história tem pontos engraçados e fará a criançada rir bastante, mas não espere aquela comédia com piadas a cada 30 segundos.

Em resumo O Grinch é um filme infantil que irá divertir as crianças e encantar os adultos pela sua qualidade técnica apurada. E talvez até consiga arrancar um sorriso daquele adulto rabugento que está assistindo a sessão sozinho.

 

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Apenas um cara cri cri crítico e gago.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Os 10 melhores personagens da Marvel de todos os tempos

2019 é um grande ano para os fãs do universo Marvel, com o lançamento de dois filmes muito esperados: "Capitã Marvel" e "Vingadores 4:...