Crítica | O Menino Que Descobriu o Vento (The Boy Who Harnessed The Wind)

Algumas histórias são tão lindas e inspiradoras, que precisam ser contadas para que mais pessoas possam se inspirar e acreditar. Talvez seja exatamente isso que faz de O Menino Que Descobriu o Vento (The Boy Who Harnessed The Wind) um ótimo filme.

O drama dirigido e estrelado por Chiwetel Ejiofor e originado pelo livro homônimo de Bryan Mealer, conta a história real de William Kamkwamba (Maxwell Simba), um garoto nascido em um vilarejo no Malauí, que cresceu vendo os pais e vizinhos trabalhando como agricultores para sobreviverem. Seus pais, apesar da vida pobre, lutavam para custear os estudos dos filhos para que William e a irmã Annie pudessem ter um futuro melhor, mas esse cenário muda quando o governo começa a comprar terrenos próximos e derrubar árvores, em função do desenvolvimento industrial, o que influencia nas mudanças climáticas na região, fazendo com que tenham chuva em excesso e também longos períodos de seca.


Com as mudanças climáticas e as plantações comprometidas, a vida do povo no vilarejo fica ainda mais difícil. Sem as plantações os pais de William deixam de ter dinheiro para arcar com os custos da escola e logo também ficam sem comida, mas William continua frequentando as aulas de ciências escondido e também frequenta a biblioteca da escola, onde aprende sobre energia eólica e também como construir um moinho para trazer energia elétrica e água encanada ao vilarejo.

A história mostra todas as questões que levaram o povo do vilarejo à miséria, e esse se torna o ponto alto do filme. O descaso do governo, o avanço do agronegócio e das indústrias, o desmatamento; todos esses fatores fizeram com que o povo que já vivia de forma humilde passasse fome.

As questões sociais agravam os conflitos internos dos personagens e fica clara a forma como isso destrói a harmonia tanto no vilarejo quanto na família de William.

Os cenários são muito bem feitos e nos transportam para o próprio vilarejo no Malauí, com suas casas rústicas e estradas de terra.

Quanto as atuações, todas são de extrema importância no longa e todos os atores são brilhantes em seus papéis. Destaco Maxwell Simba, que nos traz um William curioso, inteligente e emotivo, mostrando com clareza os sentimentos e nos arrancando lágrimas e sorrisos. Ejiofor também merece destaque por ter atuado brilhantemente como Trywell Kamkwamba, dando emoção para algumas das cenas mais fortes do filme.

O filme conta com uma história emocionante que nos traz lições sobre a importância da educação mesmo em meio a todas as adversidades, a resistência dos costumes antigos em meio a sociedade moderna, a importância da união em um momento de crise, e por último, mas não menos importante, a luta e a superação.

O Menino Que Descobriu o Vento é uma produção original Netflix e estreou no dia 01 de março.

 

 

NOTA:
Dayana Maiahttps://estacaonerd.com
A louca das séries e filmes. Apaixonada pelo universo Marvel e DC (não sou capaz de escolher um só), indie rock, livros, games e café. Aguardando a abdução alienígena.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Sim, reclamar funciona! A internet salvou o filme do Sonic!

Já faz algum tempo em que foi divulgado o então trailer oficial do filme do Sonic, o mascote da SEGA, que conquistou...