Crítica | Only Murders in the Building

Veja nossos últimos stories

A dupla Steve Martin (A Pantera Cor-de-Rosa) e Martin Short (Marte Ataca!) volta a se encontrar, dessa vez em uma série de mistério e comédia, transmitida no Brasil pela Star Plus, com a presença de Selena Gomez (Os feiticeiros de Waverly Place), para dar frescor e modernidade. Na série, três vizinhos, fissurados em podcasts de investigação, formam uma improvável equipe quando um suposto suicídio é cometido em seu próprio edifício. Eles decidem investigar a fundo o acontecido, a fim de produzir seu próprio podcast e solucionar o mistério. As coisas, porém, ficam mais complicadas quando o trio descobre que o assassino vive em seu prédio e está atento ao que eles estão fazendo.

Only Murders In The Building -Photo by: Craig Blankenhorn/Hulu

Idealizada por Steve Martin e co-produzida por ele, Martin Short e Selena Gomez, entre outros, Only Murders in the Building é uma série curta, com 10 episódios de 30 minutos cada, aproximadamente. Cada episódio é narrado, no início e no fim, por um personagem diferente, trazendo algumas informações novas a cada novo narrador. Trata-se de uma série leve (apesar das mortes e tudo mais), que tira algumas risadas de situações inusitadas e dos trejeitos exagerados característicos de Steve Martin e Martin Short, que ambos tão bem mostram em O pai da noiva (1991), por exemplo.

Embora Steve Martin pareça representar (muito bem) praticamente o mesmo personagem nas obras em que atua, a fórmula costuma funcionar, como ocorre também em Only Murders. Martin Short não fica atrás e completa a combinação explosiva do fechado e mau-humorado com o expansivo e sem freios, respectivamente. Selena, que cresceu na comédia adolescente, se encaixou muito bem, mas não dá para dizer que o roteiro ou a personagem exigiram dela um grande esforço de atuação.

Hulu/Divulgação

Aliada à atuação dos protagonistas e dos coadjuvantes, a trilha sonora nos faz viajar entre o drama,o humor e o mistério. Os flashbacks e a montagem dos episódios contribuem para o fornecimento de migalhas, pequenas peças do quebra-cabeça que nossa mente vai juntando para tentar inutilmente chegar à solução do mistério.

No geral, a série diverte, provoca alguns risos e não deixa de lado o mistério, que consegue sustentar até o último episódio, mesmo quando achamos que está tudo resolvido.

Revisão Crítica

NOTA

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Casa Gucci – Confira a crítica do filme, por André Guerra Casa Gucci – Confira a crítica do filme La Casa de Papel 5 – Confira o título dos episódios finais Os 10 grandes lançamentos da Netflix em Dezembro de 2021 Gavião Arqueiro – Confira os easter eggs dos primeiros episódios Contos do Amanhã – Confira a crítica do filme