Crítica | Os Incríveis 2

Depois de 14 longos anos de espera saiu enfim a esperada sequência de Os Incríveis (2004). A família de super-heróis mais querida do cinema regressa novamente sob a direção de Brad Bird (mesmo diretor de sucessos como Toy Story e Ratatouille). A segunda aventura de Os Incríveis traz uma história divertida e muitos (eu disse muitos) super poderes.

A história começa da onde o primeiro filme parou (literalmente). Porém agora Os Incríveis tem Helena como destaque, assumindo o papel de provedora da família, enquanto Roberto fica em casa cuidando dos filhos e aprendendo que a vida doméstica não é tão simples. A fórmula do primeiro filme é repetida com sucesso. Essa nova aposta da Pixar torna a história mais cativante, renovando uma história já conhecida.

Os destaques desse novo filme são os patriarcas da família Pera Helena e Roberto. Ao inverterem os papéis na vida cotidiana, o roteiro permite que cada um dos dois ganhe um desenvolvimento diferente, sendo eles desenvolvidos bem além daqueles clichês. Zezé, ganha destaque servindo como alívio cômico, o que é muito fofo bom de se ver num filme família. Violeta e Flecha, continuam os mesmos e funcionam bem na trama. Os demais coadjuvantes são adoráveis. Edna Moda aparece pouco no filme, mas tudo está devidamente justificado pela narrativa.

A direção de Bird é sensacional. As sequências de ação são bem construídas. A animação é fantástica, a tecnologia de 2004 para cá evoluiu bastante e foi muito bem utilizada, quando se compara o primeiro filme a este novo é fácil notar a grande diferença técnica.

O roteiro neste longa busca além de entreter chamar atenção para problemas atuais como a questão da tecnologia, cada vez mais imersiva e tóxica promovida pelos excessos. As piadas são várias no longa, porém bem dosadas. O filme equilibra bem humor, tensão e drama. Os momentos de comédia, que estão em grande parte associados a Roberto, Violeta, Flecha e Zezé (Destaque para o descobrimento dos poderes dele), estão também muito bem escritos.

As falhas desse novo filme ficam pro vilão, que é um mal de todo filme de herói (Alô Marvel e DC) suas motivações são forçadas demais. Outra falha é a dublagem, em geral amo animações dubladas, mas essa exagerou um pouco nas adaptações das piadas, como por exemplo em dado momento é perguntado de onde um novo personagem veio e ele responde: “Vim do Acre.”

Os Incríveis 2 fez valer a pena os 14 anos de espera. Uma nova história divertida, que combina ação e comédia muito bem, com uma qualidade técnica espetacular. Bird consegue contar uma história que entretém os mais jovens com a maturidade. Um filme incrível que faz jus a família mais adorada do cinema.

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

AS MAIS LIDAS

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...

Os filmes mais esperados de 2019

Primeiro dia do ano, mas já tem gente fazendo planos futuros pras estreias que acontecerão no cinema. Algumas delas, aguardadas desde 2018! Confira nossa lista...