Crítica | Os Irmãos Willoughby

Veja nossos últimos stories

Os Irmãos Willoughby é a nova animação da Netflix e conta a história de quatro irmãos com pais egoístas que fazem um plano para se livrar deles de uma vez por todas e formar a família que desejam. Prepare-se para ver uma aventura divertida e um pouco sombria mas que fala sobre independência e amor como família.

Os Irmãos Willoughby é baseado em um livro de mesmo nome e mostra a vida pra lá de excêntrica de uma família ruiva que se orgulha muito de sua linhagem e de suas conquistas em outrora. Porém, a atual geração é uma negação! O Pai só tem olhos para a Mãe e vice versa. O casal assim despreza os filhos e os trata como lixo, pois na sua visão eles só atrapalham a sua rotina de diversão. O filme possui 3 defeitos. O primeiro deles é culpa do diretor Kris Pearn (Tá Chovendo Hambúrguer 2), que também assina o roteiro, que erra ao confundir uma trama dinâmica, com uma trama frenética. O longa todo é nos 220 Volts. Muita coisa acontece e pouco é absorvido. Piadas, referências e easter eggs são vistos sem dar tempo para o espectador respirar. Algumas referências vistas são: Desventuras em série, A Fantástica Fábrica de Chocolate, O Mágico de Oz, entre outros. Toda essa velocidade contrasta com a beleza técnica da animação. Esteticamente o longa é perfeito! A técnica escolhida por Pearn para animação mistura os efeitos de um filme animado com a técnica do Stop-Motion, o visual obtido é maravilhoso, e não deixa nada a desejar quando comparada com obras da Pixar, Disney e Dreamworks.

O segundo erro da animação consiste no roteiro escrito pelo próprio Pearn e do estreante Mark Stanleigh, que se perde ao narrar as desventuras do quarteto. O início do longa não encaixa, parece diversos curtas com os mesmo personagens foram fundidos e as coisas só melhoram lá pro meio do filme. No fim o longa se perde novamente. Por fim o último erro é a mensagem, por mais colorida e fofinha que a trama pareça a mensagem que o filme passa é um pouco sombria. Sério mesmo que alguém aceitou que matar os próprios pais fosse uma ideia legal pra um filme infantil? A mensagem poderia ser muito melhor construída do que essa. A dublagem encanta e o Brasil mostra a qualidade de sempre nesse quesito. Os personagens da trama são parcialmente desenvolvidos, nem todos tem espaço de todos o destaque fica pro gato sarcástico que narra a história.

Os Irmãos Willoughby é uma animação divertida, sombria e estranha. Mas que vale a pena ser vista pela sua qualidade técnica invejável. O longa tem bons momentos que servem de compensação a trama acelerada e os personagens genéricos.

PS. O longa possui uma cena pós crédito, de gosto duvidoso.

Revisão Crítica

NOTA
Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
Eu ia falar um monte de coisa aqui sobre mim, mas melhor não pois eu gosto de mistérios. Contato: [email protected]

Deixe sua opinião!

Instagram

AS MAIS LIDAS

Confira a crítica de Tempo, novo filme de Shyamalan Confira a crítica de Transformers: The War for Cybertron Confira a crítica de Paciente 63 Confira a crítica de O Buscador Free Guy – Conheça o elenco do filme! Confira a crítica de Piedade