seg, 23 maio 2022

Crítica | Os Órfãos

Publicidade

Filmes de assombrações e fantasmas são tão comuns quanto andar, normalmente a base desse gênero é dar vários sustos, portas de fechando ou abrindo e aquela velha cena de uma música tocando e quando para… WOOOW. Mais um susto! Os órfãos possui todos os clichês de filmes de terror sendo jogados e com um fim nada interessante. O longa estreia hoje em todos cinemas do país, basicamente reciclando tudo que vimos em filmes com mansões mal assombradas.


O filme acompanha Kate (Mackenzie David), que foi contrata para cuidar da órfã Flora (Brooklyn Prince), que mora com uma governanta (não fica claro o que ela realmente faz na casa, então vamos colocar ela como governanta) e seu irmão Miles (Finn Wolfhart) que não é uma pessoal nada amigável. Com o passar dos dias as coisas vão ficando cada vez mais estranhas e Kate passa a ser atormentada por um fantasma. De todos os personagens apenas o de Kate é aprofundado, pois ela tem uma história um tanto problemática com a mãe, já que a mãe está internada em um hospital psiquiátrico se sente no dever de cuidar de Flora, que se tornou órfã. Os demais personagens são basicamente ignorados pelo roteiro preguiçoso, que prefere seguir a risca o manual básico de um filme de mansões mal assombradas. O desenvolvimento da história dirigido por Floria Sigismondi (The Runaways) pode levar alguns a quererem dormir no meio da sessão, pra uma história de terror tudo aqui é bem cadenciado o que causa uma estranheza (e um pouco de sono), atrapalhando o desenvolvimento e o filme num geral.

A fotografia do longa é de longe a melhor coisa vista em todo filme, pois fica claro que existe uma divisão entre o bemXmal: sempre usando tons frios, a diretora deixa claro a “frieza” e indiferença que ronda o local e os personagens. Porém nas cenas envolvendo as personagens Kate e a Flora, os tons frios contrastavam com algum elemento (roupas em geral) no tom de vermelho sangue… Possivelmente para mostrar que elas são as únicas que ainda não foram corrompidas. Os atores estão seguros em suas atuações, mas nada com muito destaque, o pesar é que a personagem Flora poderia ter sido bem melhor explorada e acaba sendo desperdiçada na trama.

Publicidade

Com um final, digamos bem confuso (leia um final “WTF”). Os Órfãos é um filme ruim e bem esquecível. Nesse filme quem acaba sofrendo é o espectador.

Publicidade

Newsletter

Destaque

Crítica | La Casa de Papel (5ª temporada)

Chegou ao fim La Casa de Papel! Se prepare...

Fim de semana de Clássicos | Top Gun – Ases Indomáveis

Explorando novamente Top Gun: Ases Indomáveis é possível perceber...

Crítica | Stranger Things 4: Volume 1

Quando Stranger Things estreou em 2016, os fãs acompanharam...

Crítica | Love, Death + Robots (2ª Temporada)

Love, Death & Robots ganhou sua 2ª temporada na Netflix. Ao compararmos...

Crítica | Tico e Teco: Defensores da Lei 

Tico e Teco são os dois esquilos mais famosos...
Dayana Maiahttps://estacaonerd.com
A louca das séries e filmes. Apaixonada pelo universo Marvel e DC (não sou capaz de escolher um só), indie rock, livros, games e café. Aguardando a abdução alienígena.

Deixe um comentário