Crítica | Papillon

Hoje não sou eu, Hiccaro Rodrigues, quem a crítica do filme. Mas sim uma guria sensacional, sagaz e perspicaz. Que tirou um tempinho do seu dia pra conferir Papillon filme que conta com Charlie Hunnam (Circulo de Fogo) e com Rami Malek (Mr. Robot). Enfim, confiram a crítica de Luíza Rocha.

Papillon conta a história de Henri Charrière (Papillon), um ladrão de cofres, que foi sentenciado à prisão por um homicídio ao qual ele não cometeu. Ainda na prisão, cria uma relação distinta com Louis Degas, um milionário que foi preso por fraude e falsificação.


Desde o início da relação dos dois, percebe – se que Papi (apelido do Henri) era o “protetor” da relação e o Louis, a “mente”. Em diversos momentos do filme, dá para entender que a relação inicialmente era apenas baseada nos interesses, mas até o final do filme, as mudanças no comportamento dos dois protagonistas entregam uma união mais profunda.

 

Durante algumas cenas, o telespectador se sente angustiado pelas situações que Papi passa, principalmente pela cena da solitária, na qual o protagonista dá a sensação de que realmente chegou no estado de loucura e já não tem mais consciência própria.

Com cenas muito fortes, uma ótima direção de imagem e um roteiro bem trabalhado. Papillon, estreia dia 4 de outubro nos cinemas, promete conseguir a atenção do público pelo seu teor realista e técnico.

 

Hiccaro Rodrigueshttps://estacaonerd.com
O pagode anos 90 moldou meu caráter.

Deixe sua opinião!

INSTAGRAM

SE LIGA

Crítica | La Casa de Papel – Parte 3

“Una mattina, mi son' svegliato..." Nessa nova temporada, a “Bella Ciao” vem com outro significado: Por la familia! O...

Os 10 melhores filmes de 2018

A cada ano que passa somos surpreendidos com filmes cada vez melhores. Muitos, claro, já são aguardados por serem alguma continuação. Outros são ótimas...